Todos os campeões de 2020 do LoL, do pior para o melhor

A Riot ficou ocupada neste ano, adicionando seis novos campeões ao LoL.

Imagem via Riot Games

A Riot encerrou 2020 com a suporte-tanque Rell, aumentando para seis o total de campeões lançados em League of Legends durante o ano. Com a nova temporada chegando, a redação do Dot Esports se juntou para classificar esses lançamentos com base em três critérios.

O ano da Riot foi movimentado, lançando campeões com estilos, habilidades, estéticas e impactos variados. Alguns se saíram bem e foram muito usados no profissional, outros precisaram de muito mais ajustes de balanceamento ou até causaram polêmica. Para classificar os seis campeões — Sett, Lillia, Yone, Samira, Seraphine e Rell —, levamos três aspectos em consideração:

  • Jogabilidade: As habilidades do campeão são únicas e criativas? Ele acrescenta algo novo ao MOBA?
  • Design: O visual, a história e a biografia do campeão são únicos e criativos? Eles oferecem algo novo que se encaixa em Runeterra?
  • Meta: Qual é a posição do campeão no meta? Ele precisou de muitos ajustes de balanceamento? Ele tem presença no profissional?

Confira nossa classificação dos campeões de 2020 do LoL.

6) Seraphine

Imagem via Riot Games

A escolha de Seraphine em último foi unânime na equipe de redatores do Dot Esports — e não é nenhuma surpresa.

Seja a divulgação controversa da estrela pop no Twitter, a polêmica história de origem que foi resolvida logo depois (almas Bracken? Sério?) ou as reclamações de “Sona 2.0”, o começo foi difícil para Seraphine.

Alguns fãs do LoL ficaram preocupados com a abordagem do Twitter da campeã, especialmente depois que Seraphine começou a comentar suas ansiedades e inseguranças. A estratégia de marketing acabou não colando muito. O técnico da academia da Golden Guardians, Barento “Razleplasm” Mohammed, até comentou que “usar autocobrança e saúde mental em uma conta de marketing para parecer real” era triste.

Quando suas habilidades foram reveladas, em outubro, os fãs imediatamente a compararam com Sona. Sua habilidade Som Envolvente (W) concede escudo e velocidade de movimento a ela mesma e aliados próximos, além de curar os aliados se Seraphine já tiver um escudo ativo. Alguns dizem que a habilidade mistura o W e o E de Sona em uma só. Junte isso à ultimate da estrela pop, que encanta os inimigos e tem um formato parecido com o do Crescendo de Sona, e é possível ver algumas semelhanças.

Mas, como disse Ryan “Reav3” Mireles, produtor de campeões do LoL, ela “depende MUITO de mira” e jogar com ela parece “diferente” devido à passiva de conjurar habilidades em dobro.

A estreia da Cantora Sonhadora no jogo pode ter sido tumultuada, especialmente se lembrarmos do vídeo da Campeã em Destaque, que teve mais de 110.000 “não gostei” no YouTube. Mas ela veio para ficar. Se seu lugar no meta do LoL se estabilizar, os fãs podem até esquecer toda a polêmica do começo.

5) Rell

Imagem via Riot Games

Como a campeã mais nova do LoL, Rell ainda deixa várias dúvidas. Como ela vai afetar o meta? Ela vai precisar de muitos fortalecimentos ou enfraquecimentos? E como o novo sistema de itens vai se comportar com ela?

Apesar de tudo que não sabemos, as habilidades de Rell são, a princípio, de grande ajuda para os atiradores. Ela pode curar, roubar armadura e RM para um aliado, atordoar, jogar para cima, provocar e causar dano. Embora se mova a passos de lesma com sua armadura pesada, Rell ainda pode usar sua montaria para diminuir a desvantagem.

Ainda precisamos de mais tempo com ela no jogo para dizer com precisão, mas a Riot deve lançar ajustes se ela estiver forte ou fraca demais.

Mas a história de origem da campeã (garota pobre e infeliz de 16 anos que foi criada como arma por sua própria mãe) é triste e chama atenção. Apesar de não ter exatamente um final feliz, Rell está dedicada a defender os bons e destruir Noxus.

4) Yone

Imagem via Riot Games

Tudo relacionado ao lançamento de Yone foi perfeito.

A Riot começou a criar expectativas para ele falando em “assassino mascarado” e “espadachim já falecido” que precisava fazer “as pazes com o passado” ou ser “consumido por ele”. Rapidamente se criaram rumores na comunidade do LoL de que o novo campeão seria Yone, meio-irmão mais velho de Yasuo. E, considerando que Yasuo matou seu irmão para se defender ao ser acusado de um assassinato que não cometeu, isso só intrigou mais os fãs.

Yone estreou no jogo com o evento Florescer Espiritual, que foi imensamente popular porque os Laços Espirituais funcionaram muito bem para contar a história e expandir o universo. O campeão foi lançado junto com uma animação incrível de 10 minutos, onde os dois irmãos finalmente se juntam para matar um espírito maligno.

O Inesquecido, infelizmente, foi desabilitado no Mundial 2020 e os fãs não tiveram a oportunidade de ver seus jogadores favoritos com o campeão. E suas habilidades têm algumas semelhanças com as de Yasuo. O que é diferente do caso de Seraphine é que faz muito sentido que Yone tenha habilidades parecidas com as de seu irmão. Os dois são espadachins que treinaram com o mesmo mestre, então é óbvio que seus estilos de luta seriam parecidos. Mas o Desatar da Alma (E) de Yone é uma habilidade única e divertida que o diferencia o bastante do irmão.

3) Lillia

Imagem via Riot Games

A Riot pode dormir tranquila com Lillia no Summoner’s Rift.

Antes do lançamento da “caçadora onírica”, a Riot disse que ela exigiria “grande investimento para superar a curva de aprendizado inicial”. Os desenvolvedores garantiram que a maestria da campeã valeria a espera, adotando uma nova filosofia de “balanceamento a longo prazo”. Com isso, os novos campeões pareceriam fracos e teriam menor taxa de vitórias no início. Mas essa curva melhoraria à medida que os fãs jogassem mais com eles. E, com Lillia, o novo estilo de balanceamento funcionou.

Lillia não se saiu tão bem no início, mas a Riot manteve a palavra a não a fortaleceu antes de os jogadores sequer poderem ter mais experiência com ela. Meses depois, a campeã está com taxa de vitórias estável, não foi ajustada em nenhuma atualização subsequente (exceto no caso de algumas correções de erros) e teve 62% de presença no Mundial 2020, segundo a Leaguepedia.

Dito isso, sua história e jogabilidade não são tão empolgantes assim. Ela é uma faunesa tímida que coleta sonhos e é obrigada a sair de sua floresta mágica porque a “árvore-mãe fica doente”, segundo a página de Detalhes da Campeã. Apesar de ser bonitinho, não chama muita atenção. E, além de poder lançar uma Semente Espiral de muito longe, suas habilidades não são exatamente revolucionárias. Ela tem, no entanto, um bom lugar no universo do jogo e no meta do LoL.

2) Sett

Imagem via Riot Games

Sett é outro lançamento de 2020 que sempre apareceu nas partidas profissionais em quase todas as funções. No Mundial, por exemplo, Sett foi escolhido ou banido em quase 58% das partidas. E ele apareceu no topo, no meio, na selva e como suporte.

Sua flexibilidade, no entanto, foi uma dor de cabeça para os desenvolvedores da Riot. Sett foi lançado em janeiro, com a atualização 10.1. Ele foi enfraquecido nas atualizações 10.3, 10.5, 10.8, 10.16 e 10.18. Ficou evidente que o motivo de ele poder ser usado em tantas funções era simplesmente ele ser bom demais. O Chefe tem atributos base fortes e dano base forte nas habilidades, além de ser resistente com sua mecânica de Ousadia. Ele pode estar bem balanceado agora, mas levou boa parte de 2020 para isso acontecer.

Sett pode parecer muito forte (e é), mas sua história é cativante e real. Antes de se tornar o Chefe, Sett foi considerado uma espécie de aberração por ser vastayano de Ionia e humano de Noxus. Com a perda de seu pai, ele logo passou a silenciar os opressores com socos e se tornou o rei das arenas noxianas. Ele assumiu o controle da arena e acumulou toda a riqueza que poderia desejar, inclusive para apoiar sua mãe.

1) Samira

Imagem via Riot Games

Foi próximo, mas Samira fica no topo da lista do Dot Esports em 2020.

Após serem assassinados, perseguidos e jogados como sacos de batatas por anos, os atiradores precisavam de alguém para mantê-los na função. Eis que entra Samira.

A Rosa do Deserto ajuda os atiradores a se sentirem assassinos, entrando em jogo com armas que destroem qualquer um que se atreva a entrar no seu caminho. E ela também pode se proteger de projéteis que sejam usados nela com uma habilidade que lembra a parede de Yasuo, além de poder se aproximar com ataques corpo a corpo.

Ela ficou forte demais e foi enfraquecida algumas vezes desde seu lançamento. Mas ela recompensa muito bem aqueles que conseguirem aproveitar suas habilidades complexas, além de ser uma perspectiva nova para os atiradores, que realmente precisavam disso. E ela é muito divertida.

Samira é destemida e habilidosa. Não há dúvidas de que vai encontrar seu lugar no meta do competitivo em 2021.

Artigo publicado originalmente em inglês por Andreas Stavropoulos no Dot Esports no dia 23 de dezembro.