Forgot password
Enter the email address you used when you joined and we'll send you instructions to reset your password.
If you used Apple or Google to create your account, this process will create a password for your existing account.
This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.
Reset password instructions sent. If you have an account with us, you will receive an email within a few minutes.
Something went wrong. Try again or contact support if the problem persists.
Imagem via Riot Games

A alta taxa de escolha de Omen na cena profissional de VALORANT destaca a necessidade de mais controladores

O misterioso agente teve uma taxa de escolha de 98% durante o First Strike Closed Qualifier. Viper e Brim tiveram três e dois por cento, respectivamente.

Omen traz muita coisa para qualquer composição de equipe, como se vê pela sua taxa de escolha de 98% na semana passada nas Qualificatórias Fechadas do First Strike Nerd Street Gamers Closed Qualifier de VALORANT, de acordo com o VLR.gg. Mas os outros dois controladores do jogo são virtualmente inexistentes na cena profissional.

Recommended Videos

O misterioso agente atua como a marca registrada das fumaças para a maioria dos esquadrões, especialmente porque suas habilidades também incluem uma cegueira e um teleporte. Embora sua popularidade esteja certamente relacionada ao seu bom kit, também é porque as alternativas (Brimstone e Viper) são fracas em comparação. E como os novos lançamentos do VALORANT não são controladores, podemos finalmente ter um.

Screengrab via VLR.gg

Omen também foi o agente mais jogado no First Strike NSG Open Qualifier (99 por cento) e no Renegades x NSG Invitational (99 por cento). Em cada uma dessas competições, Viper e Brimstone apareceram cada um, cinco por cento do tempo ou menos. E não é surpreendente.

Ao competir com times de elite, a última coisa que um time quer fazer é se prejudicar escolhendo um agente abaixo da média. Apesar da Riot ter fortalecido a Viper em quatro atualizações diferentes desde o lançamento de VALORANT, seu kit ainda é muito circunstancial. Embora ela possa ser ocasionalmente escolhida em Split, já que é um mapa menor com pontos de estrangulamento apertados, ela ainda não é a melhor escolha. E não importa quantas vezes a Riot tente melhorar o Brim, ainda não é o suficiente para torná-lo meta.

Para ser justo, as duas últimas qualificatórias do First Strike foram disputadas na atualização 1.10. Mas não parece que a atualização 1.11 mudará nada.

A nova atualização apresenta a tundra nevada Icebox e o canivete suíço australiano Skye. De qualquer forma, a nova agente e mapa diminuirão ainda mais as taxas de jogo de Brim e Viper. Os dois controladores não são escolhas ideais para a verticalidade do Icebox. E o meta em desenvolvimento pode favorecer Skye, Breach, Phoenix e Reyna em vez de um segundo utilizador de fumaças. Jett também atende à necessidade de outro controlador, já que sua habilidade de fumaça curta é suficiente para fazer o trabalho.

Os lançamentos de agente do VALORANT no Episódio Um foram Reyna (duelista), Killjoy (sentinela) e agora Skye (iniciador). Faz sentido para a Riot acompanhar um controlador que possa desafiar Omen para o papel nas fumaças ou pelo menos se juntar a ele. Mas, uma vez que o Ato III ainda tem mais 64 dias, pode demorar um pouco até que vejamos uma mudança dramática no meta.

Artigo publicado originalmente em inglês por Andreas Stavropoulos no Dot Esports no dia 09 de novembro.

Author
Image of Raul Rocha
Raul Rocha
Freelance writer for Dot Esports. Playing video games since childhood, Raul Rocha has over twenty years experience as a gamer and four years translating and writing gaming news.