O que a Riot pode fazer para salvar o Campeonato Mundial de League of Legends 2020?

Será que a COVID-19 vai acabar com os planos futuros?

Foto via Riot Games

Este ano deveria ser especial para os fãs de League of Legends de todo o mundo: é o 10º aniversário do Campeonato Mundial do jogo.

O Mundial é onde todo o trabalho e dedicação das grandes e pequenas regiões culmina anualmente, trazendo uma experiência dramática para a audiência. Mas, com a pandemia de COVID-19, a maior parte dos países encara uma recessão pior que a crise financeira de 2008, além de restrições a viagens internacionais e impossibilidade de fazer eventos com grandes multidões.

Isso significa que é muito improvável que o Campeonato Mundial aconteça da forma que os fãs do LoL estão acostumados. Quais, então, são as opções para o aniversário de 10 anos do Mundial?

Cancelar

Apesar de o ritmo da pandemia parecer já estar diminuindo em algumas regiões, cientistas de todo o mundo estão avisando as pessoas sobre os perigos de uma segunda onda da doença, que deve acontecer neste ano. Alguns países, como o Brasil, ainda estão lidando com a primeira onda da doença, e mostram um aumento no número de casos de COVID-19 diariamente.

Em nome da segurança de jogadores, técnicos e funcionários, a abordagem mais sensata no momento é cancelar o evento. Ainda não há cura para o vírus e, apesar de haver vários projetos de vacina em fase de testes, ainda falta muito para que alguma delas possa ser utilizada, devido ao longo período necessário para garantir a segurança da população. Com as projeções atuais, uma vacina estaria disponível daqui a 9-15 meses. É um cenário otimista. Nos cenários mais pessimistas, o surto de COVID-19 duraria aproximadamente dois anos desde seu início. Enquanto isso, as projeções otimistas mostram que haveria diversas pequenas ondas daqui para frente, e as mesmas poderiam ser contidas com um bom trabalho dos governos locais sem que houvesse um grande aumento nos casos.

Com um cancelamento do Mundial, os fãs de League of Legends ficariam, evidentemente, decepcionados. Cancelar eventos é o último recurso. Significa que todo o tempo e planejamento investidos no evento iriam por água abaixo. A Riot, por exemplo, já começa a trabalhar em um evento do Mundial alguns dias depois do fim do anterior, de acordo com um vídeo de bastidores publicado em abril.

Mudar para um formato online

Depois que o Mid-Season Invitational foi cancelado, muitas figuras da comunidade especularam que a Riot deveria tentar partir para um formato online. A intuição delas estava certa e a Riot anunciou em 18 de maio que a Mid-Season Streamathon substituiria o MSI neste ano.

Um dos momentos principais da Streamathon foi a minicopa entre a LCK coreana e a LPL chinesa. O torneio tinha regras especiais para equiparar as duas regiões, incluindo um aumento artificial do ping para que todos os jogadores estivessem nas mesmas condições. O evento foi um sucesso, arrecadando mais de 600.000 dólares durante a stream e trazendo diversos segmentos interessantes para a comunidade do LoL, como partidas entre apresentadores e jogadores de várias regiões, jogadas maravilhosas de equipes de alto nível e desafios para os apresentadores e analistas do jogo.

O sucesso desse evento pode moldar os planos de campeonatos futuros, como o Mundial. A maior parte das empresas que fariam eventos internacionais resolveu cancelar e seguir com um formato online, então fazer algo como a Mid-Season Cup, mas dividida por regiões, poderia ser melhor que simplesmente cancelar o Mundial, para não deixar passar em branco sem ao menos alguma coisa que pareça uma competição internacional.

O grande problema seria como equilibrar o ping em todas as regiões. Se levarmos em conta os servidores NA e EU ou LCK e LPL, é possível fazer isso. Mas e os times de fora dessas regiões?

Depois que a Riot cancelou o MSI, a empresa divulgou uma nota dizendo que as vagas regionais para a LEC e LPL no Mundial aumentariam para quatro. A Riot não explicou em detalhes se o evento aconteceria online ou presencialmente, então pode ser uma possibilidade. Mais campeonatos passaram a ser em formatos online, incluindo de Overwatch, Call of DutyWorld of Warcraft. O rumo tomado pela Blizzard pode ser um bom ponto de partida para um possível futuro Campeonato Mundial online.

Em vez de tentar misturar todos os times em um só campeonato, a Blizzard manteve a integridade competitiva separando a Ásia da América do Norte. Seguindo a mesma regra em League of Legends, poderíamos ter campeonatos para LCK e LPL, ou EU e NA, com pings equiparados artificialmente, e outras regiões menores fariam parte das grandes regiões mais próximas. A situação seria bem longe de ideal, mas preservaria a saúde e segurança dos funcionários e jogadores envolvidos.

Os últimos meses mostraram que a Riot é capaz de fazer campeonatos online e manter a integridade competitiva. A empresa tem procedência se decidir continuar por esse rumo. Todas as ligas regionais continuaram com boa audiência na temporada, e algumas até aumentaram seus números por haver tanta gente em casa. O conteúdo lançado tem sido bom, e tem feito a alegria da audiência.

Seguir em frente

Foto de Colin Young-Wolff via Riot Games

Na melhor das hipóteses, a Riot segue em frente com o campeonato e torce para haver uma vacina até outubro, que é quando o Mundial costuma acontecer. Se houver uma vacina até lá, o que é altamente improvável por levar de um a dois anos para conseguir uma vacina, e as restrições de viagem não estiverem mais em vigor, é possível. Mas mesmo que as restrições de viagem sejam suspensas, as restrições de número de pessoas reunidas em um mesmo local ainda podem continuar, o que causaria alto impacto no evento.

As chances de que isso aconteça são mínimas, mas ninguém pode tirar a esperança dos fãs, especialmente em circunstâncias tão difíceis.

Foi anunciado que o Campeonato Mundial deste ano aconteceria em Xangai. Apesar de a origem da atual forma do coronavírus estar sendo investigada, a maior parte dos cientistas de fora da China concorda que ele provavelmente tenha surgido em Wuhan. Muitos países impuseram restrições em viagens indo e voltando da China, então é quase impossível viajar para lá. Apesar de ter acontecido uma conferência digital em 11 de maio em Xangai, onde policiais e executivos confirmaram que o Campeonato Mundial de League of Legends 2020 não seria adiado ou cancelado, é bom sempre duvidar um pouco da afirmação.

Normalmente, a organização costuma se recusar a admitir que um evento seja cancelado até o último segundo possível, para evitar ter que arcar com os custos envolvidos em organizar o evento. Pode ser esse o motivo de os políticos de Xangai não quererem admitir que o Mundial 2020 poderia ser cancelado ou adiado, apesar de a maior parte dos outros eventos internacionais já ter sido. Mesmo que o local esteja disponível e a Riot esteja disposta a continuar, será que as restrições de viagem seriam suspensas para os envolvidos?

O atual clima político e econômico dificulta o planejamento de viagens para um possível evento, especialmente com antecedência. Muitas pessoas estão precisando usar seu dinheiro apenas para despesas essenciais, e dificilmente gastariam em um evento que não esteja confirmado. A restrição de viagens internacionais é outro empecilho para possíveis espectadores de outros países.

No fim, poderíamos ter um Campeonato Mundial com a menor quantidade possível de espectadores, mesmo que fosse possível acontecer presencialmente. Há um precedente na final da LCK, que aconteceu no LoL Park sem plateia, e também é possível seguir o exemplo da recente Mid-Season Cup.

Existe uma decisão correta nesta situação?

Foto de Wojciech Wandzel via Riot Games

Historicamente, a Riot tomou decisões que se provaram certas ao lidar com circunstâncias imprevisíveis, e soube criar um bom espetáculo mesmo em prazos curtos. A Mid-Season Cup, que foi bem-sucedida como substituição do tradicional Mid Season Invitational, é o exemplo positivo mais recente. 

Este ano é um novo desafio para a empresa, apesar de ser um que ela deve superar. Das opções apresentadas, a melhor, que levaria em conta a saúde e segurança de todos os jogadores e funcionários envolvidos, é fazer com que o campeonato aconteça em formato online, que foi bem-sucedido em outros jogos da indústria.

Não é como a Riot gostaria de comemorar e lembrar o aniversário de 10 anos de seu Campeonato Mundial, mas a última pandemia pode funcionar como exemplo. No início de 2000, a SARS, outra síndrome respiratória, teve um retorno poderoso quando começaram as estações mais frias, causando pânico no mundo inteiro novamente. Com base nisso e no fato de que os cientistas esperam que a COVID-19 volte com tudo em uma segunda leva no segundo semestre, é melhor tomar precauções e se preparar para um formato que evite esses riscos. Pode ser difícil de implementar em escala tão grande, mas uma empresa bilionária deve ter os recursos para fazer com que a experiência seja boa mesmo em um formato diferente.

Um campeonato online, se for essa a escolha, pode afetar o desempenho internacional dos times. As regiões orientais devem tentar manter sua série de vitórias e provar ao mundo que, independentemente das dificuldades, eles saem na frente.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 02 de junho.