Funcionários da Activision Blizzard teriam sido procurados por órgão dos EUA após denúncias de discriminação

Diversos funcionários relataram ter recebido questionário oficial sobre sua experiência na gigante dos games.

Imagem via Blizzard Entertainment

Alguns funcionários da Activision Blizzard teriam recebido um email da Equal Employment Opportunity Commission (EEOC), órgão dos EUA responsável por investigar possíveis casos de discriminação, pedindo para responder um questionário sobre sua experiência na empresa. A EEOC é um órgão que aplica e monitora as leis federais sobre discriminação no ambiente de trabalho por questões de “raça, cor, religião, gênero, origem, idade, deficiência ou informação genética”. A pesquisa parece fazer parte de uma investigação de denúncias de discriminação de gênero.

“A EEOC está investigando a Activision e as denúncias de assédio moral e/ou sexual”, diz o texto do email enviado para funcionários da Activision Blizzard, que apareceu pela primeira vez no Dexerto. “O fato de a EEOC estar conduzindo uma investigação na Activision não significa que a lei tenha mesmo sido descumprida.”

A investigação da EEOC acontece pouco depois de um movimento onde funcionários da Activision Blizzard se organizaram para compartilhar mais informações sobre seus salários uns com os outros. Segundo a Bloomberg, os funcionários da Blizzard criaram uma planilha nos canais oficiais da empresa no Slack, onde era possível compartilhar seus salários e aumentos recentes.

Além das disparidades de salário, nos últimos anos, a Activision Blizzard também foi centro de denúncias de racismo e machismo na cultura da empresa. Um funcionário da Blizzard foi alvo de comentários racistas em 2018, segundo a queixa prestada em 2019. O ex-funcionário alega que relatou os incidentes à organização, mas foi ignorado.

Mais recentemente, em junho, Tyler Rosen, que foi gerente sênior de estratégia e operações globais de negócios na Blizzard, foi acusado de importunação sexual em um evento de trabalho à noite. Depois do suposto ocorrido, ele manteve seu emprego normalmente. Segundo o próprio Rosen, “outro caso de comportamento não profissional contribuiu para a minha saída da Blizzard em 2018”. Parece que a Activision Blizzard pode ter um padrão de ignorar comportamentos do tipo.

A investigação da EEOC acontece em um momento-chave de reflexão sobre o espaço dos games como um todo. Ao longo dos últimos meses, centenas de relatos de importunação sexual, abuso sexual e discriminação com base no gênero tomaram as empresas. A explosão de relatos levou à demissão de dezenas de pessoas abusivas da indústria, muitas das quais ocupavam cargos de liderança. Mais recentemente, vários funcinários da Ubisoft se pronunciaram e acusaram a empresa de proteger abusadores, o que levou à suspensão e investigação de dois vice-presidentes das empresa.

Já que o governo federal dos EUA finalmente parece estar percebendo os casos que surgiram na indústria dos games, será que as empresas vão precisar tomar medidas mais proativas para proteger seus funcionários de abuso.

Artigo publicado originalmente em inglês por Aaron Alford no Dot Esports no dia 12 de agosto.