WildTurtle: “Acho que tenho um pouco mais de responsabilidade como veterano agora, considerando que Bjergsen e Doublelift se aposentaram”

É uma nova era, mas o atirador veterano ainda tem muito a provar.

Foto via Riot Games

Tem sido uma carreira longa e emocionante para o talento veterano norte-americano WildTurtle, que se juntou a CLG como o atirador inicial da equipe de League of Legends no mês passado. O jogador de 25 anos já experimentou muitas coisas na sua vida profissional, mas desta vez entra num novo ano como um dos últimos jogadores a ter competido na primeira época da LCS.

Com a aposentadoria de Doublelift e Bjergsen, o clube OG ficou cada vez menor depois da última temporada. Todos os jogadores da divisão original da LCS se aposentaram, exceto Xmithie, Darshan, Aphromoo e WildTurtle.

Para muitos fãs hardcore de League of Legends, é difícil imaginar que já se passaram sete anos desde o início da LCS e que a era de Scarra, Voyboy, Dyrus e Imaqtpie acabou. Poucas pessoas esperam muito desses veteranos, mas sua responsabilidade como representante da velha guarda permanece.

Foto via Riot Games

“Acho que tenho um pouco mais de responsabilidade como veterano agora, considerando que Bjergsen e Doublelift se aposentaram”, disse WildTurtle ao Dot Esports. “Eu definitivamente sinto que preciso fazer os veteranos parecerem bons. Eu tenho que colocar um trabalho extra e garantir que todos saibam que a idade não importa e que ainda podemos ter um desempenho de alto nível.”

Há tanta ênfase no mundo do LoL nos jovens que a expectativa para alguns desses jogadores mais velhos caiu no esquecimento. Mas as pessoas não percebem que permanecer neste nível exige muita perseverança, habilidade e dedicação dos jogadores que se mantiveram no topo de seu jogo.

WildTurtle disse que “definitivamente tem sido difícil” manter um alto nível de jogo ao longo dos anos, já que ele atribui muito de sua consistência como profissional às suas muitas horas de fila solo e prática. Mas isso pode custar caro para uma pessoa, não importa o quão dedicada ela seja.

Foto via Riot Games

Olhando para o futuro da LCS, no entanto, WildTurtle também abordou os problemas que a região da América do Norte teve com sua incapacidade de desenvolver talentos amadores mais jovens em jogadores de alto calibre.

Muitas pessoas olham para o caminho até o show com desdém, já que existem apenas alguns locais que fornecem aos jogadores as oportunidades e a experiência necessárias para se preparar para o grande palco e mostrar seu talento para o mundo.

WildTurtle explicou como isso prejudicou a capacidade dos jovens jogadores de terem sua grande chance na região. Quando ele se juntou à LCS como um jovem de 18 anos de olhos brilhantes com a TSM, por exemplo, ele já havia experimentado uma tonelada de torneios presenciais que o prepararam para o futuro.

Foto via Riot Games

“Quando me tornei um novato, já tinha jogado uma tonelada de torneios em LAN e já tinha muita experiência nesse sentido”, disse WildTurtle. “Eu acho que esses novos jogadores amadores, eles realmente não têm aquela saída para mostrar suas habilidades e obter os mesmos níveis de intensidade que a LCS.”

Antes de WildTurtle ingressar na TSM e na LCS em 2013, ele já havia participado do Rising Stars Invitational, do Solomid Series, do IPL 5 Wildcard Qualifiers e do 2012 MLG Summer Championship. Hoje em dia, alguns jogadores da NA não passam tanto tempo em ambientes de torneios.

Essa diferença marcante é mais perceptível quando se compara a América do Norte com sua região irmã na Europa, onde o caminho de novas estrelas é muito mais claro do que no NA, que tem apenas Scouting Grounds e Collegiate League como grandes torneios para amadores jogarem.

Foto via Riot Games

Na Europa, os jogadores têm a chance de provar seu valor em uma das muitas ligas regionais. Essas ligas estão em um nível inferior ao do LEC, mas dão às equipes e novatos a chance de provar seu valor em um ambiente de equipe com uma temporada competitiva completa.

Eles também têm o European Masters, que é um cenário perfeito para os jogadores testarem suas habilidades contra alguns dos talentos mais brilhantes da região, enquanto colocam todas as suas habilidades em exibição para olheiros da LEC. No final das contas, as equipes da LEC agora têm uma enorme reserva de talentos esperando para serem descobertos devido à quantidade de prática e experiência que os amadores podem adquirir antes mesmo de entrar no palco da LEC.

Até que a LCS possa fornecer aos amadores da NA locais para aprimorar suas habilidades, o crescimento da região continuará a ser lento. Existem algumas equipes que estão ajudando, como a 100 Thieves com seu programa 100 Next, o time de trainees da TSM e a nova Collegiate Series da Cloud9. Mas ainda há muito trabalho a ser feito.

No próximo ano, a LCS verá uma tonelada de novos jogadores ingressar na liga, incluindo uma equipe de desenvolvimento inteira com os Golden Guardians. Pode parecer precipitado lançar jogadores em crescimento direto para a LCS, mas é uma fresta de esperança que muitos fãs não veem nesta região há algum tempo.

Não se esqueça dos veteranos experientes que abriram o caminho para as futuras estrelas de amanhã. Eles ainda estão aqui, eles ainda são talentosos e estão todos prontos para vencer.


Siga-nos no  YouTube  para mais notícias e análises de e-sports.

Artigo publicado originalmente em inglês por Tyler Esguerra no Dot Esports no dia 11 de dezembro.