Como os itens Míticos mudaram completamente o LoL

A mais nova classe de itens do LoL fez seu nome em apenas alguns meses.

Imagem via Riot Games

Cada pré-temporada de League of Legends traz uma grande mudança no jogo. Após as atualizações de Summoner’s Rift do ano passado que introduziram Almas e o Rift Elementais, a pré-temporada deste ano teve como objetivo abordar um dos recursos mais desajeitados do jogo desde o seu lançamento: itens. A loja de itens do jogo foi completamente reformulada no final de 2020, não exigindo mais que os jogadores percorressem as páginas e páginas de itens para procurar o que precisavam (a menos que ainda queiram fazer isso, caso em que esse recurso continua vivo).

A loja mudou para ser categorizada por classe e oferece aos jogadores sugestões sobre quais itens comprar conforme o jogo avança com base na composição do time adversário. Enquanto as mudanças na loja de itens foram eventualmente bem-vindas pela comunidade, havia outro novo recurso que imediatamente gerou muitos debates entre os jogadores do LoL: itens míticos.

A revisão dos itens colocou cada item em uma categoria distinta com base em seu poder, variando de Inicial, Básico, Épico, Lendário e o Mítico recém-introduzido. Revelado pela primeira vez em um vídeo de pré-temporada da Riot Pls, essa nova classe de itens visava trazer à tona as verdadeiras forças de cada campeão, mas limitava seu poder a um desses itens por jogador. Vários itens mais antigos, incluindo o Eco de Luden e o Medalhão do Solari de Ferro, foram reclassificados como itens míticos com atualizações que os tornaram muito mais poderosos do que seus equivalentes mais antigos. Novos itens também foram introduzidos nesta categoria para compensar as várias funções do LoL, com o jogo agora contendo 23 itens Míticos diferentes. 

Mas a curta existência de itens Míticos tem sido cheia de controvérsia. Muito poucos escaparam dos debates sobre sua força, e nos primeiros seis meses da temporada 11, muitos definiram completamente o meta em diferentes pontos.

Amumu poderia fazer o que em 20 minutos?

Um dos primeiros a abusar da força incomparável dos itens Míticos recém-lançados na pré-temporada foi ninguém menos que a triste múmia do LoL. Depois de se esconder nas sombras por tanto tempo, Amumu repentinamente entrou em cena graças ao poder de um combo que consistia no novo item Mítico Égide de Fogo Solar, de tanques, bem como no novo item Lendário Abraço Demoníaco. Quando combinado com o dano constante do W de Amumu, a queima de ambos os itens pode destruir até o campeão mais tanque. 

Mas o mais notável é que Amumu poderia levar apenas esses dois itens para o covil do Barão sozinho e destruir completamente o monstro mais temível do Rift aos 20 minutos, logo quando o Barão aparece. Não importava se o jogador de Amumu estava forte ou ficando para trás. A combinação das queimaduras passivas desses itens ao lado do W de Amumu fez com que o Barão parecesse nada mais do que uma tropa de rota, apenas com o bônus adicional de conceder um dos fortalecimentos mais importantes para seus companheiros de equipe após abatê-lo. 

Ainda assim, Amumu não foi o único campeão tirando vantagem da Égide de Fogo Solar. Este item se tornou um item básico nos kits de vários campeões tanques, removendo a possibilidade de qualquer itemização de outros tanques e tornando outros itens Míticos inúteis. 

Mas tão rapidamente quanto Amumu se tornou o rei da selva graças à Égide de Fogo Solar, ele foi retirado do Rift mais uma vez. A múmia foi enfraquecida ao esquecimento ao lado do item Mítico que trouxe seus pontos fortes antes do início do ano novo. No entanto, com um meta complicado desaparecido, outro estava logo virando a esquina.

League of MoonStaff

Se dois itens por si só pudessem definir adequadamente a 11ª temporada do LoL, eles seriam o Regenerador de Pedra Lunar e o Cajado da Água em Fluxo. Esses novos itens Mítico e Lendário, respectivamente, pegaram o já enorme problema do jogo com a cura e o levaram além. O Regenerador de Pedra Lunar, um dos novos itens Míticos focado em capacitar encantadores na função de suporte, destinado a ajudar campeões como Lulu e Janna a curar passivamente seus companheiros de equipe ao usar suas outras habilidades de utilidade. 

Os jogadores frequentemente optam por pegar o novo item Lendário Cajado da Água em Fluxo com o Regenerador de Pedra Lunar, uma vez que fornece um aumento de dano adicional para aliados afetados por esses tipos de habilidades. O que acabou acontecendo, no entanto, foi que esse combo assumiu completamente o controle do Rift. 

Esses itens não se limitaram à função de suporte. Campeões como Nidalee e Lillia adotaram essa combinação de itens dentro da selva, onde seus danos consistentes poderiam ativar as passivas dessas habilidades com frequência. Graças ao seu baixo custo e notável PdH embutido, esses itens rapidamente tomaram o lugar de itens mais comuns de PdH, como os itens Míticos Angústia de Liandry e Colhedor Noturno. Esses campeões da selva se tornaram muito mais eficazes no uso desses itens, já que seu papel ao longo do jogo é vagar e estar constantemente em contato com seus companheiros de equipe, ao contrário da maioria dos suportes que se limitam a ajudar seus atiradores e ocasionalmente ir até o meio. 

Mas onde essa combinação brilhou mais foi nas lutas de equipe em que vários campeões levaram esses dois itens. Nesse ponto, nem mesmo as Feridas Dolorosas poderiam derrubar os oponentes, já que suas barras de saúde eram constantemente regeneradas até o máximo, enquanto simultaneamente concediam grandes aumentos de poder para seus aliados. 

Apesar dos fortalecimentos do combo mais uma vez na atualização 11.11, esses itens ainda não brilharam novamente devido ao ajuste de outros itens Míticos da selva / suporte que otimizaram muitas itemizações de campeões. Encantadores como Lulu e Karma, que anteriormente optavam pelo Regenerador de Pedra Lunar e Cajado da Água em Fluxo, ainda usam o item Lendário, mas sua escolha Mítica mudou para o Hino Bélico de Shurelya na maioria dos casos. Os caçadores de PdH confiam fortemente na quantidade de dano de Colhedor Noturno e outros itens míticos de mago, tornando essas itemizações orientadas para suporte relíquias do passado.

Falando em cura …

Não é incomum para os jogadores do LoL se referirem à rota superior como uma espécie de ilha. Na maioria das vezes, os campeões duelando lá são tanques que causam poucos danos uns aos outros e estão se concentrando mais no acúmulo de recurso do que na eficácia do mapa até que uma luta de equipe comece ou eles tenham itens suficientes. Embora a introdução de itens Míticos não tenha feito muito para mudar isso quando a temporada começou, havia um item Mítico focado em lutadores da linha de frente que gerou polêmica por meses: Hemodrenário. 

Este novo item possui um efeito ativo que permite aos campeões restaurar uma grande parte de sua Vida com base no número de inimigos nas proximidades. Quando construídos em lutadores que já possuíam cura inata embutida em seus kits, como Renekton, Aatrox e Olaf, sua auto-sustentação foi muito além. Esses campeões se tornaram os chefes de raide que sempre sonharam ser, mas para o desânimo de um meta de jogo saudável. 

Olaf sozinho teve uma taxa de escolha / banimento de 92,2 por cento durante todo o 2021 LCS Spring Split, de acordo com Leaguepedia, graças quase inteiramente ao imenso poder e sustentação que ele ganhou de Hemodrenário, ostentando percentagens semelhantes em outras regiões. Só quando outro item Mítico, Quimiotanque Turbo, assumiu o controle, que Olaf começou a sair da prioridade na selva e foi substituído pelos explosivos Hecarim e Udyr do passado. No entanto, mesmo com enfraquecimentos, a potência de cura do Hemodrenário era demais. 

No final das contas, a Riot ajustou vários itens que concedem Feridas Dolorosas em vez de continuar a enfraquecer o Hemodrenário até o esquecimento. Ao fazer isso, a Riot reconheceu que a cura no LoL era muito frágil. O menor enfraquecimento a esses itens que sustentam a saúde podem remover completamente certos campeões de todos os níveis de jogo e reforçar um pequeno grupo de campeões, mas o mesmo pode ser dito para possíveis fortalecimentos. 

O Hemodrenário, desde então, ficou em segundo plano para outros lutadores como opção de Mítico, mas atuou como um dos aspectos mais importantes da discussão entre a Riot e os jogadores para abrir o ano.

O futuro é incerto

No geral, os itens Míticos tiveram um grande impacto no LoL em sua curta vida útil de seis meses. Mas, como acontece com qualquer novo recurso que muda completamente o jogo, eles têm sido nada menos que controversos. 

Itens Míticos continuam a ser os aspectos definidores de kit de cada campeão e permitiram que muitos campeões obtivessem o maior sucesso que já tiveram desde seus lançamentos. Enquanto a Riot originalmente pretendia que os jogadores tivessem mais variedade com suas itemizações Míticas dependendo da situação de cada jogo, o meta agora está em um ponto onde cada campeão tem uma melhor opção, tornando alguns Míticos dominadores e outros insuficientes. 

Embora não haja nenhum Mítico específico neste momento que seja considerado quebrador de jogo, campeões que floresceram com itens específicos continuam a fazê-lo enquanto permanecem sob o radar para enfraquecimentos, tornando o problema muito mais complicado do que simplesmente enfraquecer os itens ou campeões. A atualização 11.12 está finalmente abordando as preocupações em relação a Kai’Sa e seu poder absoluto com os itens Míticos de atirador Mata-Cráquem e Força do Vendaval. Ela tem sido uma das campeãs de maior desempenho da temporada devido à sinergia entre seu kit e esses itens, mas o poder que os itens Míticos trouxeram para outros campeões continua a ser um pesadelo de balanceamento contínuo.

A Riot revelou recentemente que um novo item Mítico de suporte está sendo criado para melhor compensar essa falta de diversidade de itemizações Míticas dentro da rota inferior, mas não se sabe no momento se fará o mesmo para outras funções e rotas. No entanto, cada atualização da 11ª temporada teve amplos ajustes neste novo nível de itens, criando assim outro nível de balanceamento que complica ainda mais o jogo em constante evolução.

À medida que avançamos no meio da temporada, a Riot precisará continuar a ficar de olho no impacto dos itens Míticos que mudaram completamente a forma como o LoL é jogado.


Certifique-se de nos seguir no  YouTube  para mais notícias e análises sobre esportes.

Artigo publicado originalmente em inglês por Ethan Garcia no Dot Esports no dia 14 de junho.