Riot revela história de Aphelios, novo campeão de League of Legends

“Mesmo separados, eles ainda estavam juntos.”

Captura de tela via Riot Games

Os fãs de League of Legends ainda estão se recuperando do lançamento de Senna, atiradora suporte, mas outro campeão já está chegando.

A Riot revelou hoje a biografia de outro atirador do Universo do LoL. Aphelios, a Arma dos Devotos, faz parte do pequeno grupo dos Lunari de Targon, que inclui Diana e Zoe. O campeão foi citado brevemente no Mapa dos Campeões da Riot, que dizia que “só os mais devotos” vão conseguir dominar o atirador.

Captura de tela via Riot Games

Aphelios e sua irmã gêmea Alune foram celebrados como “filhos do destino” pelos fiéis da religião Lunari. Aphelios recebeu o dom da proeza física e dominou as lâminas místicas de pedra da lua. Alune, por outro lado, recebeu magia espiritual e treinou como profetisa, revelando caminhos e verdades ocultas à luz da lua.

Mas os Lunari foram considerados “hereges” pelos Solari, que governavam Targon e os fizeram viver escondidos nas sombras.

Procurando desesperadamente um propósito, Aphelios bebeu a essência da rara, porém venenosa, flor de noctum. A flor fez com que ele se desligasse de tudo, exceto a dor.

Depois, Marus Omegnum, um templo ancestral, surgiu do reino espiritual pela primeira vez em séculos. Apesar de todos os Lunari terem se juntado para o evento, o templo só aceitava um ocupante cada vez que o evento acontecia. Alune entrou para completar seu destino.

Mas a aparência do templo atraiu a atenção dos Solari, que usaram seus exércitos para atacar os Lunari de surpresa. Aphelios foi derrotado na batalha, mas Alune libertou seu potencial máximo no centro do templo. Ela colocou magia na mão dele, combinando a magia e a habilidade: “Os Solari não viveriam para ver o sol outra vez”.

Os dois encontraram seu destino. Alune se sacrificou no reino espiritual e Aphelios usou a dor para deixar de sentir.

“Juntos, eles seriam a arma que os Lunari precisavam, unidos pela dor e pelo sacrifício”, diz a história. “Mesmo separados, eles ainda estavam juntos.”

Artigo publicado originalmente em inglês por Andreas Stavropoulos no Dot Esports no dia 19 de novembro.