Riot compartilha ideias sobre nascimento do K/DA, por que é um grupo K-pop e o futuro de seu universo musical

Os criadores do popular grupo virtual sentaram-se com a IGN para discutir o nascimento do grupo e seu futuro.
Imagem via Riot Games

O K/DA, uma das bandas virtuais de League of Legends, disparou ao estrelato depois de lançar sua primeira música em novembro de 2018. Os desenvolvedores da Riot Games falaram sobre o nascimento do grupo, explorando novas direções e o futuro do K/DA no universo da música da Riot Games em entrevista ao IGN.

Toa Dunn, chefe da Riot Games Music, disse ao IGN que a música é uma forma de a equipe se expressar, e eles não querem que ela seja apenas um complemento. Na época, eles procuraram criar um “universo musical”, disse ele, com versões alternativas dos personagens do LoL passando a se tornar músicos em vez de lutadores.

A Riot começou sua aventura musical em 2014 com um álbum para sua banda virtual de League of Legends, Pentakill. Seu primeiro álbum, Smite and Ignite, liderou várias paradas e se tornou um sucesso instantâneo. Para o Campeonato Mundial daquele ano, eles colaboraram para a primeira música oficial com Imagine Dragons. Desde então, todo ano o Mundial tem uma música oficial, e todos eles foram sucessos instantâneos para os fãs do LoL.

A Riot começou a procurar por um novo território após o sucesso de Pentakill, e o popular K-pop estava no topo das mentes da equipe.

“Quando começamos, estávamos tentando descobrir o que o som do K/DA”, disse Patrick Morales, diretor principal de criação da Riot Games Music. “Quando nos sentamos com nosso compositor, Sebastian [Najand], acho que o que realmente nos atraiu foi a ideia de que se tivéssemos que descrever realmente um estilo pop que pretendíamos fazer, seria com duas palavras: contagiante e divertido.”

Ao pensar sobre os membros da banda, a Riot olhou para um cosmético de alguns anos antes: a skin Ahri Estrela do Pop. A equipe fez dela a líder do grupo musical e procurou construir uma programação em torno da campeã. Logo, eles escolheram Akali, Evelynn e Kai’Sa como os outros membros do grupo e fundaram o K/DA.

Imagem via Riot Games

A faixa de estreia do grupo foi Pop/Stars, um sucesso instantâneo conhecido por sua música enérgica e versos ferozes. Mesmo que nenhum de seus escritores tivesse experiência de trabalho na indústria de K-pop, a música parecia funcionar. “O K-pop inclui muitas formas diferentes de música. Há muitos gêneros diferentes que são misturados”, disse Hye Jin Lee, Professora de Comunicação da Universidade do Sul da Califórnia. “Tem hip-hop, R&B, rap, house, EDM. Você escolhe, você vai encontrar no K-pop. Em termos de música, qualquer coisa pode ser K-pop, é apenas como é feita a entrega.”

“Nós definitivamente queríamos a fusão”, disse Najand na entrevista. “Porque muitas bandas de K-pop também têm uma seção de rap, elas têm uma seção de canto e tudo mais. Então, nós definitivamente queríamos fazer isso. Também queríamos ter uma abordagem multilíngue, coreano e inglês neste caso.”

Depois de concordar com os personagens e a ideia geral por trás do grupo, a Riot procurou artistas para interpretar as vozes das versões alternativas dos personagens do LoL e chegou em Soyeon e Miyeon para os vocais coreanos e Madison Beer e Jaira Burns para os ingleses. Após esse sucesso, a Riot trabalhou para aumentar seu universo musical, com mais em estoque.

“Nossa equipe está realmente começando a focar no futuro de nosso universo musical”, disse Dunn. “Seja Pentakill, seja True Damage, K/DA, DJ Sona. Temos muitas dessas bandas ou artistas atraentes em diferentes gêneros. Também existe esse elemento de narrativa. Eles colidem? Eles vêm juntos como você viu com Seraphine e K/DA? Torna-se uma plataforma muito interessante para contar uma história.”

A Riot também observou que continuará a procurar oportunidades para música em torno de VALORANT, seu último sucesso no gênero FPS.

Desde sua estreia, as músicas do K/DA acumularam mais de 650 milhões de visualizações no canal da Riot no YouTube. No Spotify, o grupo tem 2,6 milhões de ouvintes mensais com mais de 530 milhões de streams. No entanto, dificilmente é o único grupo que cresceu no coração da comunidade. Pentakill também tem uma grande base de fãs, e a Riot provocou o retorno da banda no início deste mês.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 15 de agosto.

related content
Read Article Melhores opções para enfrentar Kai’Sa em League of Legends
Read Article Melhores opções para enfrentar Mundo em League of Legends
Read Article Correção de Swain após alteração na atualização 12.8 do LoL
Related Content
Read Article Melhores opções para enfrentar Kai’Sa em League of Legends
Read Article Melhores opções para enfrentar Mundo em League of Legends
Read Article Correção de Swain após alteração na atualização 12.8 do LoL
Author
Raul Rocha
Freelance writer for Dot Esports. Playing video games since childhood, Raul Rocha has over twenty years experience as a gamer and four years translating and writing gaming news.