Riot compartilha ideias sobre nascimento do K/DA, por que é um grupo K-pop e o futuro de seu universo musical

Os criadores do popular grupo virtual sentaram-se com a IGN para discutir o nascimento do grupo e seu futuro.

Imagem via Riot Games

O K/DA, uma das bandas virtuais de League of Legends, disparou ao estrelato depois de lançar sua primeira música em novembro de 2018. Os desenvolvedores da Riot Games falaram sobre o nascimento do grupo, explorando novas direções e o futuro do K/DA no universo da música da Riot Games em entrevista ao IGN.

Toa Dunn, chefe da Riot Games Music, disse ao IGN que a música é uma forma de a equipe se expressar, e eles não querem que ela seja apenas um complemento. Na época, eles procuraram criar um “universo musical”, disse ele, com versões alternativas dos personagens do LoL passando a se tornar músicos em vez de lutadores.

A Riot começou sua aventura musical em 2014 com um álbum para sua banda virtual de League of Legends, Pentakill. Seu primeiro álbum, Smite and Ignite, liderou várias paradas e se tornou um sucesso instantâneo. Para o Campeonato Mundial daquele ano, eles colaboraram para a primeira música oficial com Imagine Dragons. Desde então, todo ano o Mundial tem uma música oficial, e todos eles foram sucessos instantâneos para os fãs do LoL.

A Riot começou a procurar por um novo território após o sucesso de Pentakill, e o popular K-pop estava no topo das mentes da equipe.

“Quando começamos, estávamos tentando descobrir o que o som do K/DA”, disse Patrick Morales, diretor principal de criação da Riot Games Music. “Quando nos sentamos com nosso compositor, Sebastian [Najand], acho que o que realmente nos atraiu foi a ideia de que se tivéssemos que descrever realmente um estilo pop que pretendíamos fazer, seria com duas palavras: contagiante e divertido.”

Ao pensar sobre os membros da banda, a Riot olhou para um cosmético de alguns anos antes: a skin Ahri Estrela do Pop. A equipe fez dela a líder do grupo musical e procurou construir uma programação em torno da campeã. Logo, eles escolheram Akali, Evelynn e Kai’Sa como os outros membros do grupo e fundaram o K/DA.

Imagem via Riot Games

A faixa de estreia do grupo foi Pop/Stars, um sucesso instantâneo conhecido por sua música enérgica e versos ferozes. Mesmo que nenhum de seus escritores tivesse experiência de trabalho na indústria de K-pop, a música parecia funcionar. “O K-pop inclui muitas formas diferentes de música. Há muitos gêneros diferentes que são misturados”, disse Hye Jin Lee, Professora de Comunicação da Universidade do Sul da Califórnia. “Tem hip-hop, R&B, rap, house, EDM. Você escolhe, você vai encontrar no K-pop. Em termos de música, qualquer coisa pode ser K-pop, é apenas como é feita a entrega.”

“Nós definitivamente queríamos a fusão”, disse Najand na entrevista. “Porque muitas bandas de K-pop também têm uma seção de rap, elas têm uma seção de canto e tudo mais. Então, nós definitivamente queríamos fazer isso. Também queríamos ter uma abordagem multilíngue, coreano e inglês neste caso.”

Depois de concordar com os personagens e a ideia geral por trás do grupo, a Riot procurou artistas para interpretar as vozes das versões alternativas dos personagens do LoL e chegou em Soyeon e Miyeon para os vocais coreanos e Madison Beer e Jaira Burns para os ingleses. Após esse sucesso, a Riot trabalhou para aumentar seu universo musical, com mais em estoque.

“Nossa equipe está realmente começando a focar no futuro de nosso universo musical”, disse Dunn. “Seja Pentakill, seja True Damage, K/DA, DJ Sona. Temos muitas dessas bandas ou artistas atraentes em diferentes gêneros. Também existe esse elemento de narrativa. Eles colidem? Eles vêm juntos como você viu com Seraphine e K/DA? Torna-se uma plataforma muito interessante para contar uma história.”

A Riot também observou que continuará a procurar oportunidades para música em torno de VALORANT, seu último sucesso no gênero FPS.

Desde sua estreia, as músicas do K/DA acumularam mais de 650 milhões de visualizações no canal da Riot no YouTube. No Spotify, o grupo tem 2,6 milhões de ouvintes mensais com mais de 530 milhões de streams. No entanto, dificilmente é o único grupo que cresceu no coração da comunidade. Pentakill também tem uma grande base de fãs, e a Riot provocou o retorno da banda no início deste mês.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 15 de agosto.