Um torneio de Overwatch está experimentando o banimento de heróis

O treinador do Dallas Fuel, Justin "Jayne" Conroy, é o responsável pelo evento, chamado Torneio dos Futuros Campeões.

Imagem via Tournament of Future Champions

Os banimentos de heróis, apesar de serem familiares nos esports, não são algo do competitivo que Overwatch adotou. Existem algumas razões, a maior das quais é que a Blizzard opera os três principais circuitos de Overwatch : A Liga Overwatch, a Overwatch Contenders e a Open Division. Torneios de terceiros, que são mais propensos a colocar em jogo conjuntos de regras experimentais, são raros.

Mas um torneio que acontecerá em breve, chamado Tournament of Future Champions (ou Torneio dos Futuros Campeões, em português) do treinador do Dallas Fuel Justin “Jayne” Conroy, será o primeiro a testar um novo conjunto de regras, implementando banimentos e proteções para as cenas de segunda e terceira divisão de Overwatch. O sistema de banimento de heróis é mais comumente usado em jogos online multijogadores de arenas de batalha, como League of Legends e Dota 2. Qualquer um que tenha assistido ao League Championship Series ou ao The International de Dota 2 deve estar familiarizado com a prática: as duas equipes se revezam em fases de banimento e escolha, cada uma escolhendo com quem querem jogar e quem não querem que a outra equipe tenha acesso. A estrutura adiciona uma camada de complexidade não apenas ao estilo do jogo, mas à busca de talentos e aos treinamentos que acontecem fora das partidas profissionais. Isso funciona em League of Legends e Dota 2 porque existem muitos campeões disponíveis.

O número de heróis disponíveis para jogar em Overwatch é a grande crítica contra os sistemas de escolhas e banimentos para a cena competitiva. “Tivemos muitas discussões sobre isso, antes mesmo de lançarmos o jogo já falamos sobre esse tipo de coisa”, Geoff Goodman, desenvolvedor de Overwatch, disse em dezembro. “Ainda há potencial para isso, mas não haveria por um tempo se fizéssemos isso. Precisamos de um conjunto de heróis muito mais profundo, ou isso não faz sentido”.

Nem todo mundo concorda. Jennifer “LemonKiwi” Pichette, narradora do Tournament of Future Champions, disse ao Dot Esports que sistemas de escolha e banimento em Overwatch não é apenas uma maneira de remover heróis desequilibrados do jogo competitivo. Além disso, é um desafio que força as equipes a se prepararem para qualquer coisa e se manterem flexíveis.

“Ele recompensa as equipes que estudam o oponente, que expandem suas estratégias em mapas e podem flexibilizar seus grupos de heróis para se adequar à situação”, Pichette disse. “É uma batalha de adaptabilidade. Estou animada para ver se as equipes vão optar por deixar escolhas abertas para seu próprio time, ou decidir enfraquecer os pontos fortes do inimigo.”

Eventos de menor escala, tradicionalmente, são a arena na qual as equipes são capazes de experimentar novas estratégias e desenvolver o meta. É exatamente isso que a comunidade Overwatch tem visto com a Overwatch Contenders sobre a Liga Overwatch. A Contenders tem uma programação de atualizações menos rígida do que a Liga Overwatch League teve em sua primeira temporada, o que permitiu que as equipes da Contenders fossem as precursoras de novas metas. O Tournament of Future Champions, com seu prêmio de US$ 2.000, dá aos talento do futuro de Overwatch um pouco mais de espaço para brincar com o formato atual.

As possibilidades mais interessantes são os mini-metas que podem se desenvolver dentro de um único torneio, como acontece no Campeonato Mundial de League of Legends. Ainda é uma ideia não testada em Overwatch, mas a comunidade está empolgada em criar mais complexidade na forma como as equipes elaboram estratégias.

“Você pode entrar com o melhor plano possível, mas tudo pode ser arruinado pela proteção ou banimento da equipe adversária”, disse Christopher LoBosco Jr., um narrador do Tournament of Future Champions. “A possibilidade de fazer ajustes e criar composições com base no que está acontecendo em uma partida e quais heróis ainda estão disponíveis é imperativa. Certos conjuntos de banimentos terão seus próprios metas e pontos fortes para certos estilos de jogo.”

Ao contrário de Dota 2 ou League of Legends, as equipes estão presas em suas “escolhas”. Eles são apenas os heróis protegidos que não podem ser banidos pelo outro time. Isso permite que Overwatch mantenha seus valores centrais de flexibilidade e adaptação, permitindo que as composições mudem durante a partida como normalmente aconteceria.

As qualificatórias do Tournament of Future Champions começaram em 15 de janeiro, com a chave eliminatória começando em 19 de janeiro. Cinco equipes foram convidadas diretamente para a chave eliminatória, com 10 vagas para serem preenchidas por equipes qualificadas. As cinco equipes já qualificadas são First Generation, Path to Poverty, Chicken Contendies, Who? E Mirage.

“Como o TFC é um torneio de um dia, os banimentos de heróis são uma forma de nivelar o campo de jogo entre equipes que têm muita prática e equipes mais novas, permitindo a engenhosidade e a habilidade dos jogadores brilharem”, Conroy disse em um comunicado. Os treinadores também poderão assistir aos jogos, o que ajudará as equipes a usar sua comissão de apoio em jogo.

A comunidade de Overwatch tem falado abertamente sobre mudanças, seja sob a forma de conjuntos novos ou adaptados de regras. Os sistemas de escolha e banimento ainda não foram testados em Overwatch, mas no início do evento, em 19 de janeiro, teremos algumas evidências concretas a serem consideradas.