13 DE abril DE 2018 - 19:33

Thiago "TH7" Valente da Black Dragons é suspenso da Overwatch Contenders por boosting

O jogador assumiu receber dinheiro para melhorar ranks de contas de terceiros por necessidades financeiras.
Dot Esports Brasil: Writer and Translator | Redator e Tradutor
preview
Imagem via Blizzard Entertainment

Thiago "TH7" Valente, jogador de Overwatch pela Black Dragons e-Sports, revelou no início da tarde dessa sexta-feira (13) que foi suspenso do mata-mata da primeira temporada da Overwatch Contenders América do Sul 2018 por receber dinheiro para melhorar a classificação ranqueada de contas de terceiros no jogo.

Em uma publicação no TwitLonger, o jogador de 23 anos explicou o que o levou a tomar essa atitude. Ele diz que sua vida estava "um caos" há meses.

"Problemas familiares, separação dos meus pais, investigações sobre o homicídio do meu avô (por parte de pai), término de um longo relacionamento, mudança de casa (3 vezes), saída da faculdade", TH7 escreveu na publicação. "Isso tudo foi em 2 meses."

O jogador afirma que se imergiu em Overwatch como uma forma de o ajudar a "não fazer nada de errado" consigo mesmo. Ele diz que devido a todos os problemas, acabou desenvolvendo um quadro de forte depressão.

Os gastos em sua casa aumentaram "com advogado (tanto para separação, quanto para policial), investigação policial, perícia investigativa, transporte de mudança de casa (3x)", TH7 disse.

A única forma que ele encontrou para ajudar nos gastos de casa foi ganhando dinheiro para entrar nas contas de outras pessoas e subir o ranking delas em Overwatch. "Acabei me envolvendo com isso. Desde sempre soube que era errado, mas como eu disse - não me restou alternativa," TH7 escreveu.

Em um dado momento, a Blizzard teria iniciado uma investigação e descoberto que TH7 estava aceitando dinheiro para melhorar as contas de outras pessoas, e foi punido na hora. "Todas minhas contas foram banidas permanentemente, sendo conta [principal] e [secundária]. Elas ainda existem, mas não terei mais acesso para jogar em nenhuma delas."

Thiago "TH7" Valente diz que, no entanto, a Blizzard não o baniu permanentemente do cenário competitivo, do qual faz parte há quase dois anos. "Terei que criar outra conta, do [zero]. Sei que isso ira impactar agora no começo, mas espero que o tempo possa apagar," TH7 escreveu.

O jogador confirmou que ainda representa a Black Dragons e-Sports, apesar de não poder jogar com a equipe na fase de mata-mata nessa temporada da Overwatch Contenders.

"Sei que o que fiz foi errado e estou respondendo por isso agora. Estou arrasado e nunca mais farei isso, nem se eu tiver necessidade," TH7 concluiu.

A atitude tomada pelo jogador, também conhecida como "boosting", é proibida até para jogadores comuns em Overwatch e, em geral, resulta no banimento permanente das contas de quem presta e de quem contrata o serviço.

Nas regras oficiais da Overwatch Contenders, que são as mesmas para todas as regiões do campeonato, o item 2.1.1 diz que, para que um jogador possa competir, sua conta deve estar "em boas condições a respeito de quaisquer contas Battle.net registradas em seu nome, sem quaisquer violações do Contrato de Licença de Usuário Final da Blizzard comprovadas."

Nesse Contrato de Licença citado na regra, que está disponível em português no site da Blizzard, o item C.iii, de Usos Comerciais Proibidos, indica que nenhum jogador pode:

C.iii. Explorar, totalmente ou em seus componentes individuais, a Plataforma ou o(s) Jogo(s) para qualquer propósito comercial que não tenha sido expressamente autorizado pela Blizzard, incluindo, entre outros, [...] (iii) realizar serviços dentro do jogo, incluindo, mas não se limitando a melhoria de conta ou passar de nível, em troca de pagamento.

Portanto, o caso de TH7 se enquadra em uma infração do Contrato de Licença imposto pela Blizzard a todos os jogadores de Overwatch e de outros títulos da empresa.

Uma infração similar aconteceu na Liga Overwatch no fim de março com o jogador Son "OGE" Min-seok, do Dallas Fuel. Ele foi suspenso por quatro séries da liga também por aceitar dinheiro para melhorar o ranking de outros jogadores, mas não teve suas contas de jogo banidas.

Kim "Sado" Su-min, do Philadelphia Fusion, foi suspenso no fim de novembro de 2017 pelo mesmo motivo, mas por 30 séries. Suas contas de jogo também não foram banidas.

Nate Nanzer, o representante da Liga Overwatch na Blizzard, explicou ao Dot Esports em outra ocasião que as punições são proporcionais ao quanto esse serviço foi feito pelo infrator, ou por quanto tempo. No entanto, nenhum documento da Overwatch Contenders ou do Contrato de Licença da Blizzard especifica qual punição deve ser dada aos jogadores que infringem essas regras.

A Blizzard confirmou ao Dot Esports Brasil a punição de Thiago "TH7" Valente.

Próximo Artigo