Sombria, melancólica e talvez até meio deprimida: Vex pode ser a campeã mais fácil de se identificar no LoL

"Criar um campeão é como criar um arco-íris, e a Vex é o nosso cinza-escuro", explica a Riot.

Imagem via Riot Games

O objetivo da Riot Games com Vex, próxima campeã de League of Legends, era criar algo diferente. Nascida e criada em Bandópolis, a nova campeã é sombria, melancólica e — mais importante — fácil de se identificar.

A ideia de Vex é que fosse alguém “que, de alguma forma, fosse como você”, disse a Riot na Análise da Campeã. Ela é uma campeã que não é muito diferente de “qualquer jovem apático e desinteressado” dos anos 1990, para quem “nada é bom o suficiente”. Mas foi na sua falta de motivação que o escritor de narrativa principal, John O’Bryan, mais se enxergou.

“Eu queria mesmo que as pessoas com um histórico de depressão se enxergassem na Vex”, explicou ele. “Que jogue a primeira pedra quem nunca quis ficar enfiado na cama o dia inteiro sem fazer nada.”

Mas o objetivo dos escritores era passar mais uma “indiferença e angústia próprias da adolescência” que a “depressão total”. Eles não sabiam se estavam lidando com os hormônios adolescentes, mau humor normal ou sintomas de uma depressão clínica.

“A angústia adolescente é um sentimento praticamente universal, e parecia ser um traço de personalidade singular para uma Campeã yordle”, explica a Riot. “Mas focar apenas a faceta rabugenta e desmotivada de um adolescente poderia ser limitado demais, já que as pessoas são muitíssimo mais complexas do que isso. A Vex é muito mais.”

No trailer da campeã de Vex, ela praticamente se arrasta pelo mapa, reclamando de tudo e todos ao seu redor. “Me deixa em paz”, “argh, pessoas” e “cara, eu odeio andar”, ela resmunga.

Mas, segundo a Riot, ela não é só mal-humorada e apática. “Há muito mais dentro daquela cabecinha peluda de yordle que a equipe desejava explorar.”

O design visual de Vex é complexo e alimenta sua personalidade. À primeira vista, ela parece uma típica — e pequena — garota gótica, com maquiagem escura e um moletom maior que ela em tons de preto, verde e roxo.

Mas a “Sombra” de Vex, que a segue pelo Summoner’s Rift, é o que a torna “capaz de expressar emoções”. Ela costuma falar com a Sombra de forma irritada, o que, segundo a Riot, é “um sinal de como ela mesma se vê”.

A Sombra de Vex não é como a relação entre o Lobo e a Ovelha dos Kindred. Ela “revela a yordle atenciosa e imensamente expressiva por trás da máscara de indiferença que ela criou com todo o cuidado”, segundo a Riot, “além dos crushes que finge não ter”.

Imagem via Riot Games

Suas habilidades também são inspiradas em sua personalidade. Vex se irrita com tudo a seu redor, “principalmente se for algo agitado e animadinho”, segundo a Riot. Sua passiva, por exemplo, cancela avanços, uma coisa “megairritante de tão agitada” do LoL.

Periodicamente, a passiva de Vex, Destruição e Escuridão, faz com que a próxima habilidade da campeã interrompa avanços e cause Temor. Quando um inimigo próximo avançar, ele fica marcado, recebendo mais dano. “Basicamente, quanto mais o inimigo usa o avanço, mais dano ela causa e interrompe essa habilidade”, explica Bryan “Axes” Salvatore, gerente de design de jogos.

No fim das contas, Vex é “um risco maior” do que os desenvolvedores costumam correr com um campeão. “Acho que muitas pessoas vão adorar a Campeã; outras, nem tanto”, diz O’Bryan. “Criar um Campeão é como criar um arco-íris. Todas as cores são necessárias para gerar tamanha variedade de Campeões, e a Vex é o nosso cinza-escuro.”

Vex, a Melancolista, será lançada em 23 de setembro, com a atualização 11.19 do LoL.

Artigo publicado originalmente em inglês por Jerome Heath no Dot Esports no dia 07 de setembro.