Riot explica mudanças provisórias aos campeões da selva na atualização 10.4 do LoL

Prepare-se para sete novos campeões na selva.

Imagem via Riot Games

Na semana passada, a Riot Games revelou seus planos de aumentar o número de campeões de League of Legends que fossem viáveis para a selva na atualização 10.4. Mark “Scruffy” Yetter, designer-chefe de jogabilidade, mostrou uma lista provisória do que os desenvolvedores vão começar a testar para mudar.

“Na 10.4, vamos tentar adicionar um punhado de campeões que amamos (e vocês amam) às possibilidades para a selva”, Scruffy explicou em uma publicação no blog dos desenvolvedores. “Queremos fazer mudanças específicas, que melhorem a eficácia dos campeões na selva mas não mudem seu funcionamento nas rotas.”

Primeiro, a cura do Q de Darius passa a funcionar com monstros, e o sangramento passivo passa a causar 120% do dano a monstros da selva. As duas mudanças devem ajudá-lo a limpar os campos mais facilmente, mas ainda deixam o campeão saudável. Da mesma forma, a passiva de Talon, que também causa sangramento, passa a funcionar em monstros grandes e causa 120% de dano.

As passivas de Diana e Mordekaiser também ficam mais fortes contra monstros da selva: a do Escárnio da Lua causa 150% de dano a monstros, e a do Revenã de Ferro causa mais dano aos campos.

Garen também pode girar para limpar os campos mais rapidamente, porque seu E passa a causar 150% de dano a monstros. Zed pode recuperar energia nos campos, e seu dano passivo aumenta em 100% se ele estiver na selva. Por último, o W de Gnar terá dano máximo estático de 300.

Muitas pessoas hesitam em testar a selva, por ser uma função complicada. A ideia é que essas novidades convençam mais jogadores a tentar, além de ver se o meta pode mudar com opções mais flexíveis para a selva.

Artigo publicado originalmente em inglês por Tyler Esguerra no Dot Esports no dia 11 de fevereiro.