Quem é Alune em League of Legends?

A Arma dos Devotos é forjada por duas almas que se tornam uma.

Imagem via Riot Games

À medida que mais campeões são adicionados ao League of Legends, a história de Runeterra se expande imensamente, permitindo que os jogadores vejam como rostos novos e familiares interagem uns com os outros. Alguns novos campeões têm laços estreitos com personagens que não são jogáveis ​​no jogo, embora seu impacto seja sentido quando esses campeões pisam no Rift.

Em 2019, um novo atirador entrou na briga, diferente de qualquer atirador que havia sido jogável no jogo até aquele momento. Aphelios, a Arma dos Devotos, trouxe uma nova profundidade à rota inferior com cinco armas diferentes. Este personagem foi o primeiro e único a ter uma interface completamente diferente de outros campeões. Ele também não tinha uma habilidade E, em vez disso, concentrando-se em combinações de armas que poderiam mudar seu estilo de jogo em questão de segundos.

Ao contrário de outros campeões, Aphelios não tem falas usando sua própria voz. Em vez disso, sua irmã Alune fala por ele. Ela usa sua magia para se projetar no corpo de Aphelios, tornando-se um com ele.

Imagem via Riot Games

De acordo com a história oficial de Aphelios, ele e Alune, filhos gêmeos dos Lunari que eram celebrados como “filhos do destino”, foram separados muitas vezes devido a seus papéis dentro da fé serem muito diferentes. Enquanto Aphelios usou a força física para proteger os Lunari, Alune se concentrou em fortalecer sua magia como vidente, separando assim os irmãos e trazendo Aphelios uma turbulência interna que muitas vezes o distraiu de seu caminho.

Como parte de uma cerimônia Lunari, Aphelios seguiu a luz da lua, que o levou a um pequeno lago de raras flores noturnas. Beber seu néctar daria a Aphelios maior acesso aos poderes que se originavam da luz da lua na escuridão. No entanto, esse ato teve um custo, colocando uma toxina nas veias de Aphelios que removeu todos os sentimentos de seu corpo, incluindo sua capacidade de falar.

Depois de uma emboscada dos Solari em sua caminhada até o Monte Targon para completar um ritual, Alune levou a si mesma e o templo sagrado para o reino espiritual, longe de qualquer dano que os Solari infligissem. Ao fazer isso, Alune ganhou o poder de se projetar no corpo de seu irmão, permitindo que os dois permanecessem como um para sempre. Isso significava que Alune poderia agir como outro par de olhos para proteger seu irmão em sua jornada.

Ao ir para a batalha, Aphelios bebe o néctar da flor venenosa para não apenas ganhar o poder da noite, mas estabelecer uma conexão mais forte com Alune. Isso permite que Alune sinta o que Aphelios precisa em todos os momentos, dando-lhe acesso a seu diversificado conjunto de armas. De acordo com a visão do campeão de Aphelios, esse vínculo também vem ao custo de os dois compartilharem uma alma e, portanto, seus pensamentos também, trazendo conflitos internos cada vez que os gêmeos procuram combinar seus poderes.

Não é provável que Alune seja jogável no LoL, já que ela e Aphelios são essencialmente jogáveis ​​simultaneamente em todos os momentos. Sem a ajuda de Alune, Aphelios não se tornaria o imparável guerreiro Lunari que ele se tornou, potencialmente aproximando os Lunari de ganhar controle sobre o domínio dos Solari no Monte Targon.

Artigo publicado originalmente em inglês por Ethan Garcia no Dot Esports no dia 12 de março.