Produtor executivo da Riot explica atraso do Wild Rift para América do Norte, América do Sul e Índia

"Sabemos que essa notícia é chata e sentimos muito por isso."

Imagem via Riot Games

Inicialmente anunciado como lançamento de 2020 para Android e iOS, League of Legends: Wild Rift foi oficialmente adiado para 2021 nas Américas do Norte e do Sul e na Índia. Como já era esperado, os fãs não ficaram muito felizes com o anúncio da Riot.

A conta oficial de Wild Rift no Twitter então compartilhou uma mensagem do produtor executivo da Riot, Micheal Chow, para os fãs das regiões afetadas. Chow falou sobre os motivos do atraso.

O principal motivo do atraso de Wild Rift é a pandemia de COVID-19, segundo Chow. Ele explicou que a pandemia deixou a equipe “impossibilitada de viajar”, impedindo o cumprimento dos procedimentos que seriam adotados normalmente. A pandemia também ocasionou “novas restrições técnicas”, “complicando ainda mais os desafios e requisitos em todas as regiões”.

“Levar o serviço para a região de vocês tornou-se um desafio muito complexo e multifacetado”, disse Chow. Ele acrescenta ainda que se apressar demais não é uma opção, porque pode causar problemas ou até fazer com que todos os servidores do jogo precisem ser reiniciados.

Chow também mencionou os problemas que os novos jogadores podem encontrar se entrarem no ecossistema de um jogo global muito tarde. Ele disse que a Riot está trabalhando para garantir que os novos jogadores não enfrentem muita desvantagem. Uma forma de fazer isso é implementar formas mais fáceis de adquirir campeões nessas regiões.

Wild Rift entra em beta aberto em diversas regiões em 27 de outubro. A Riot planeja lançar o jogo na Europa, Oceania e maior parte da Ásia no início de dezembro.

Artigo publicado originalmente em inglês por Wasif Ahmed no Dot Esports no dia 26 de outubro.