O meta do Mundial de LoL já está sem graça

Eba, outro Urgot. Bacana.

Imagem via Riot Games

Até agora, houve alguns jogos realmente divertidos durante a Fase de Entrada do Campeonato Mundial de League of Legends 2018, com destaque para a virada impossível da Cloud9 contra a DetonatioN e ao duelo colossal entre Kaos Latin Gamers e G-Rex.

Apesar de todo esse entretenimento nas mãos dos jogadores, os campeões foram tudo menos isso. O meta até agora tem sido extremamente padrão durante a entrada. Todas as partidas tiveram uma mistura de Urgots, Alistars, Kai’Sas e mais. Há um estranho Yasuo lá, e até uma Taliyah na selva de vez em quando, mas na maioria das vezes, tudo foi previsível.

Este é um problema comum com a fases de entrada a cada ano. O meta definido durante a escalada de cada região tende a se estender à fase de entrada, mesmo que geralmente haja uma ou duas atualizações entre cada conjunto de partidas. Isso acontece só porque os profissionais não têm muito o que fazer, e criar teorias não funciona muito bem se você não tem evidências para confirmá-las.

Normalmente, a primeira mudança de meta no Mundial acontece depois da Fase de Entrada no início dos grupos. Isso ocorre porque as equipes na fase de grupos têm evidências para comprovar suas teorias. Elas podem deixar que as equipes da entrada avancem e deixem o torneio usando os campeões para decidir o que funciona e o que não funciona em sua própria fase. 

Só porque é normal, não significa que esse meta não seja chato. Urgot é banido ou escolhido, Aatrox é banido ou escolhido e a rota inferior está cheia de suportes de criação de jogadas, de Varus e de Kai’Sa. Muita Kai’Sa. Thresh foi escolhido algumas vezes, o que é diferente do meta das escalada, mas não passa disso. Esperamos que, para os espectadores, o meta mude um pouco antes do fim da semana.

Mas nós deveríamos estar agradecendo, porque não houve uma única Janna escolhida até agora. Há sempre uma luz no fim do túnel.


Texto original em inglês por Aaron Mickunas.