Maiores mudanças de mana e redução de tempo de recarga no LoL

A Riot acertou em cheio com as mudanças da pré-temporada de 2021 para mana e RTR.

Imagem via Riot Games

Ao longo dos anos, a Riot Games adicionou continuamente redução de tempo de recarga (RTR) e mana à maioria dos itens novos ou retrabalhados em League of Legends, removendo importantes decisões para os jogadores em termos de pensar sobre o que construir. 

A maioria das funções alcançou facilmente 40 por cento de RTR no meio do jogo, removendo os pontos fracos embutidos em seu kit devido aos seus altos tempos de recarga. Habilidades repetidas também eram um grande problema com campeões na rota meio não tendo que pensar sobre o uso de mana devido a novas runas e itens.

Mas na pré-temporada de 2021, a Riot fez muitas mudanças na redução do tempo de recarga e na acessibilidade de mana para fazer o LoL parecer que está voltando às suas raízes, onde o uso de mana importava e cada campeão não estava sobrecarregado com um limite de 40 por cento de RTR. O retrabalho da redução do tempo de recarga para aceleração de habilidade para torná-la escalável linearmente em vez de exponencialmente ajudou a diminuir o tom de muitos campeões, enquanto a remoção de mana da maioria dos itens acabou sendo um ótimo começo em termos de tornar os recursos importantes. Estas foram algumas das melhores mudanças feitas no LoL na história do jogo.

Mas quando tudo isso começou? Quando os campeões começaram a ter muito RTR e nenhum problema de mana depois de usar suas habilidades repetidas vezes? Aqui estão algumas das maiores mudanças que a Riot fez na acessibilidade de mana e na redução do tempo de recarga ao longo dos anos.

Temporada três: Os itens da selva e a crise de redução do tempo recarga

A terceira temporada do LoL introduziu novos itens da selva para tornar os caçadores mais viáveis ​​e não focados em itens de ouro por segundo. E ao lado dessas ferramentas orientadas para a selva, muitos itens foram adicionados para outras funções com redução do tempo de recarga, tornando mais fácil acumular mais RTR.

Alguns campeões que estavam balanceados devido a longos tempos de recarga se tornaram dominantes, ultrapassando o meta à força com os itens recém-adicionados. Essa tendência continuou ao longo dos anos, quando novos itens de RTR foram adicionados ao jogo. Os campeões podem facilmente atingir 40 RTR no nível 10, o que os torna difíceis de lidar.

Temporada cinco: Poção Corrupta

Nos primeiros dias do LoL, a sustentação não era um grande problema. Mas na quinta temporada, uma grande mudança aconteceu quando um item chamado Poção Corrupta foi introduzido. Custando 500 de ouro, o item tinha três cargas e restaurava 150 de vida e 50 de mana em 12 segundos por carga. Isso ajudou a trazer muitos campeões que tinham uma fase difícil de rotas de volta ao meta, dando-lhes a chance de permanecer na rota por mais tempo para alcançar seus caros picos de energia. 

Embora a Poção Corrupta tenha sido usada inicialmente apenas por campeões do meio, ela passou a ser um item básico para o topo e também alguns atiradores, resolvendo muitos problemas de sustentação, especialmente para campeões que tinham altos custos de mana. Este item se tornou um grande problema ao longo dos anos, permitindo que campeões fortes com um início de jogo fraco contornassem sua fase sem brilho com facilidade devido à sustentação concedida.

Isso anulou a maioria das tentativas de derrubar os inimigos e forçá-los a recuar com pouco ou nenhum ouro. Isso criou um problema no sentido de que jogadores melhores não podiam mais pressionar sua vantagem contra jogadores mais fracos que adquiriram este item.

Temporada seis: Capítulo Perdido

A sexta temporada introduziu o item favorito de muitos da rota meio: Capítulo Perdido. O item de 900 de ouro na época restaurava 20 por cento de mana máximo após subir de nível, fornecendo um ótimo caminho de construção, tornando-o fácil de adquirir no início do jogo. Uma vez comprado, a maioria dos campeões do meio não tinha mais problemas de mana no futuro.

Ele foi inicialmente inserido apenas na árvore de Morellonomicon e alguns campeões o evitaram, embora fosse tão forte. Nem todo mundo precisava da redução de cura de Morellonomicon, já que a cura não era tão prevalente naquela época. Mas com o tempo, os jogadores perceberam que poderiam construir o Capítulo Perdido e mantê-lo enquanto completavam outros itens. O atraso de 900 de ouro não afetava muito a maioria das construções básicas e deu aos jogadores a oportunidade de ignorar os problemas de mana até completarem seus itens essenciais.

Temporada sete: Runas Reforjadas

Imagem via Riot Games

A sétima temporada trouxe novas runas com efeitos impactantes e maneiras completamente diferentes de personalizar seu campeão com uma runa primária como o núcleo de sua construção de runas. Algumas dessas novas adições ajudaram a resolver problemas de mana, fornecendo várias opções para muitos RTR por meio de várias árvores.

A ideia por trás das Runas Reforjadas era fornecer efeitos impactantes, e conseguiu. Em vez de ter que escolher runas inúteis para aumentar seu poder por valores marginais, você na verdade tinha runas fortes para escolher agora. Este sistema concedeu aos jogadores uma lista principal que deu a eles acesso a uma runa primária, três runas menores daquela lista, e então duas runas de uma secundária. Você não poderia mais escolher runas em mais de duas páginas de runas como antes.

Com o tempo, os jogadores aprenderam que certos campeões nem mesmo precisavam comprar itens de mana se pegassem runas como Goste de Sangue ou Entrega de Biscoito para resolver seus problemas de sustentação. Isso tornava mais difícil para bons jogadores punir jogadores ruins devido a todas as maneiras que eles podiam se sustentar por meio das novas runas.

Temporada oito: Capítulo Perdido e ajustes de runas

O Capítulo Perdido foi ajustado na oitava temporada para poder ser integrado ao Eco de Luden, Cetro do Arcanjo e Hextec GLP-800. Embora o item fosse forte quando introduzido, ele não foi feito em todos os campeões, já que você nem sempre precisava do efeito do Morellonomicon.

Uma vez que o item foi retrabalhado para fazer parte da árvore de outros itens, entretanto, todos os campeões do meio começaram a fazê-lo, pois os meio de PdH precisavam de um dos itens acima. Os magos de explosão compravam o Eco de Luden, os magos de fim de jogo foram para o Cajado do Arcanjo e os magos de batalha ou utilitários pegaram o Hextec GLP-800.

O Tônico de Distorção do Tempo foi introduzido durante a oitava temporada também, tornando a Poção Corrupta um item inicial muito mais forte devido à quantidade de sustentação fornecida. A runa permitia que você ganhasse mais vida, mana e um bônus de velocidade de movimento enquanto estava sob o efeito da poção. Tornou-se uma runa popular para a maioria dos campeões do meio que queriam ser imparáveis ​​desde o início.

Temporadas nove e dez: redução do tempo de recarga em demasia

Enquanto alguns dos problemas de sustentação que os campeões tinham foram resolvidos com as mudanças das Runas Reforjadas, as duas últimas temporadas foram famosas por introduzir ou retrabalhar itens para ter RTR. Os campeões em todas as funções começaram facilmente a atingir o limite de 40% de redução do tempo de recarga, apenas com seus itens principais, sem ter que pensar sobre o que comprar.

Os jogadores buscavam a runa da Transcendência no meio e como suporte para obter muito poder de habilidade devido ao excesso de RTR de seus itens. A maioria dos itens do meio e de suporte tinham RTR, então era apenas uma questão de tempo até que você atingisse 40% quando obtivesse seus itens principais.

Os campeões da selva também encontraram essa situação com os itens principais tendo muito RTR, levando alguns campeões que dependiam de longos tempos de recarga a novas alturas. Isso colocou uma desvantagem no design de novos campeões da Riot, já que teve que criá-los com longos tempos de recarga devido à facilidade de acesso ao RTR.

Pré-temporada de 2021: Um passo atrás para um ambiente melhor

Durante a pré-temporada atual, a Riot retrabalhou a RTR para Aceleração de Habilidade. Em vez de reduzir os tempos de recarga em uma quantidade fixa, a nova estatística afeta quantas vezes um jogador pode lançar um feitiço, ao mesmo tempo que é não possui o limite de 40 por cento como o RTR. Isso foi feito para que a estatística parecesse a mesma em qualquer ponto do jogo e escalasse linearmente. Um por cento de aceleração de habilidade é sempre igual a um por cento a mais de habilidades lançadas, ao contrário de RTR, que aumentava exponencialmente e parecia mais forte quanto mais você tinha.

A Riot também forneceu um grande retrabalho de itens em uma escala que nunca aconteceu antes no LoL. A nova especificação de itens força os jogadores a realmente pensarem sobre o que construir enquanto fornece vários efeitos. Os campeões agora regularmente ficam sem mana e não alcançam mais muita aceleração de habilidade ao construir seus itens principais. Em vez disso, eles têm que sacrificar certos efeitos dos novos itens para obter aceleração de habilidade ou mana. 

Runas como Presença de Espírito também tiveram um grande sucesso. Presença de Espírito já havia resolvido muitos problemas de mana, restaurando o mana em e aumentando a base de mana de um campeão. A runa não aumenta mais a base de mana, no entanto. Em vez disso, aumenta a regeneração de mana, tornando-a uma runa decente para a fase de rotas, mas não mais dominante a ponto de escalar bem em todos os estágios do jogo. Enquanto a Riot removeu mana de muitos itens, ela aumentou as reservas de mana para compensar muitos campeões afetados pelo retrabalho dos itens.

Depois de remover a velocidade de habilidade de um grande número de itens, a Riot pode ajustar individualmente os campeões afetados por esta seca de aceleração de habilidade para colocá-los em linha com outros que não dependiam da estatística. A pré-temporada de 2021 é um grande passo para tornar o LoL um jogo melhor, forçando os jogadores a tomarem decisões em vez de construir os mesmos itens em todas as partidas.


Siga-nos no  YouTube  para mais notícias e análises de e-sports.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 15 de dezembro.