Coreanos da Afreeca Freecs começam temporada de 2019 com Karthus na selva contra SKT

Depois de ganhar popularidade durante a pré-temporada, Karthus fez sua estreia em 2019.

Imagem via Riot Games

Quando você está perdendo por um jogo na sua primeira série de 2019, o que você deve fazer? Você escolhe Karthus na selva do nada, é claro.

Foi essa a lógica da Afreeca Freecs quando entrou no segundo jogo contra a SK Telecom T1. Foi apenas uma questão de tempo até Karthus, um campeão que viu um pico de popularidade em todo o mapa durante a pré-temporada, aparecer em uma partida profissional este ano.

O caçador veterano da Afreeca Freecs Lee “Spirit” Da-yoon tem sido um grande defensor de Karthus na selva durante todo o meta da pré-temporada, então quando ele foi escolhido para entrar no segundo jogo, a SKT sabia o que estava por vir. “Quando vimos a troca por Spirit, sabíamos que seria Karthus na selva, então conseguimos contestá-lo”, o caçador da SKT Kim “Clid” Tae-min disse na entrevista após o jogo.

A SKT forçou a Afreeca a entrar em uma situação complicada na fase de rotas, dando ao meio Lee “Faker” Sang-hyeok um Urgot. A fim de ter o seu encontro desejado de Gangplank contra Urgot, o meio da Afreeca Son “Ucal” Woo-hyeon foi forçado a ir para a rota do topo como Galio. Mas estando preso no topo, Ucal foi incapaz de exercer muita pressão ao redor do mapa.

Essa troca simples de rotas feita pela SKT interrompeu toda a estratégia de luta em equipe da Afreeca. E sem constantes lutas de equipe de quatro jogadores, onde ele poderia causar muito dano em área, a eficácia de Spirit como Karthus foi drasticamente reduzida. A Afreeca nunca se encontrou em uma posição em que Spirit pudesse pegar mais de um abate com sua ultimate global, Réquiem.

Apesar de não terem conseguido superar a equipe dos sonhos da SKT ontem, a Afreeca vai tentar encontrar sua primeira vitória do ano novo em 20 de janeiro, quando enfrentam a Hanwha Life Esports.