Classificamos todos os temas dos Mundiais de League of Legends

Como você classificaria essas músicas?

Imagem via Riot Games

“Phoenix”, música-tema do Campeonato Mundial de League of Legends 2019, foi lançada nesta semana.

“Phoenix” é a sexta música-tema de Mundial a ser lançada e, em menos de três dias, passa dos 8 milhões de visualizações no YouTube. Além disso, é a primeira música que traz um artista que já tenha participado de uma música do Mundial antes: Chrissy Costanza participou de “Legends Never Die”, de 2017.

Com o lançamento de “Phoenix”, decidimos fazer uma lista classificando todas elas. Desde 2014, todo ano a Riot Games lança um “hino” do Mundial e um clipe para dar o pontapé inicial no campeonato.

Já que todas as músicas são lançadas junto com um clipe completo, classificamos com base na música e no vídeo. Além disso, a lista só terá os vídeos oficiais dos Mundiais, então não vamos contar outras músicas como “POP/STARS”.

Esta é nossa classificação das músicas e vídeos do Mundial.

6. “Worlds Collide” (ft. Nicki Taylor) 2015

O som de “Worlds Collide” incorpora a essência de League of Legends. Criada em 2015, a música abriu espaço para projetos futuros da Riot, como “Bring Home the Glory” e “Awakened”. Cordas, metais e sintetizadores, combinados com um poderoso vocal feminino, definem o estilo de “Worlds Collide”.

Apesar de ser a última da nossa lista, “Worlds Collide” tem um refrão poderoso e viciante. O maior problema é o vídeo, ou a falta dele. “Worlds Collide” é a única música-tema de um Mundial que não teve um vídeo completo. Em vez disso, o vídeo oficial tem um cristal vermelho mostrando mini versões de monumentos europeus. O cristal gira e algumas pedras flutuam a seu redor, então ele é animado. Mas uma animação repetida várias vezes não é suficiente para salvar “Worlds Collide” da última posição da nossa lista.

5. “Phoenix” (ft. Cailin Russo and Chrissy Costanza) 2019

“Phoenix” é a mais recente das músicas de Mundiais e provavelmente a mais aguardada de todas. “Phoenix” deveria ter sido lançada antes da fase de entrada, mas atrasos de produção fizeram com que demorasse mais duas semanas. Além do suspense, a própria música deixa muito a desejar.

“Phoenix” começa com uma introdução suave e sombria, mas, à medida que continua, fica evidente a falta de dimensão. Quase não existe crescimento para o refrão e falta inspiração, o que deixa um sentimento de insatisfação. Entre cada parte de versos e refrão, parece que estamos ouvindo várias vezes o primeiro minuto. Os fãs criticaram o YouTube por reduzir a qualidade da música, mas, mesmo ouvindo em outros serviços, o sentimento continua. A letra, porém, pinta muito bem a superação de desafios, o que é positivo e fácil de se identificar.

O que salva “Phoenix” é o lindíssimo vídeo. Ele em si é um dos melhores. As animações são de tirar o fôlego e a alternância entre pessoas reais e animação é feita com maestria. O vídeo combina com a letra da música e cria uma história coesa que enfatiza os desafios que Lee “Faker” Sang-hyeok, Rasmus “Caps” Borregaard Winther e Song “Rookie” Eui-jin devem superar no Mundial deste ano.

4. “Legends Never Die” (ft. Against The Current) 2017

Não foi fácil classificar “Legends Never Die”. A música em si é incrível, mas o vídeo estaria em último lugar se não fosse pelo fato de “Worlds Collide” não ter um. Os momentos serenos de “Legends Never Die” são complementados com crescendos que levam ao refrão explosivo. A percussão pesada é dita constantemente o ritmo, o que ajuda a aumentar a expectativa e mantém o movimento da música sem cansar.

Sobre o vídeo, foi incrível visual e estilisticamente. Mas não tinha praticamente nada a ver com o Mundial. Em vez de mostrar jogadores ou sonhar com a ideia de uma competição em um palco internacional, “Legends Never Die” contou historinhas de Ashe, Lee Sin e Garen. Os campeões não pareceram estar ligados a nenhum jogador ou momento específico do LoL. De modo geral, ele pareceu não ter conexão com o Mundial, reduzindo drasticamente o impacto de “Legends Never Die”.

3. “Ignite” (ft. Zedd) 2016

“Ignite” vai em uma direção totalmente diferente de todas as outras músicas do Mundial. As batidas eletrônicas são acompanhadas por um arranjo orquestral que ajuda “Ignite” a ter a identidade de uma música do Mundial sem perder sua individualidade. As batidas são incrivelmente grudentas, junto com a letra simples e positivamente brega. A Riot saiu de sua zona de conforto com “Ignite” e funcionou. O problema dela enquanto música é que pode parecer vazia e não criar expectativa nenhuma nos versos, que são particularmente calmos.

Além disso, os tons eletrônicos vibrantes da música são complementados pelo vídeo tão vibrante quanto ela. A animação vívida e o estilo desse vídeo não têm igual. Mas a combinação de música e vídeo não é tão impressionante quanto nos dois primeiros colocados.

2. “Warriors” (ft. Imagine Dragons) 2014

“Warriors” sobreviveu ao tempo, apesar de ter sido a primeira música do Mundial, lançada em 2014. Os subtons sombrios de “Warriors” destacam o significado de competir no palco do Mundial. As letras encapsulam a jornada incansável de se tornar campeão mundial, e fazem alusões à comunidade do LoL, que ajudou a construir o jogo e fazer dele o espetáculo que é hoje, um feito que talvez não esteja presente em nenhuma outra música-tema dos Mundiais. Também é a única das músicas que tem um solo de guitarra.

O vídeo leva a letra a outro patamar, mostrando a dor que os jogadores sentem depois de uma derrota e o desejo de melhorar. Diferentemente de outros vídeos, “Warriors” usa jogadores genéricos para contar uma história, em vez de profissionais específicos. Antes de os profissionais estarem no palco, eles estavam jogando em casa, assim como todo mundo, o que torna a abordagem de “Warriors” muito próxima.

A música e o vídeo são icônicos, mas “Warriors” também representa um ponto crucial da história do LoL. Quando “Warriors” foi lançada, os esports eram relativamente desconhecidos fora dos círculos de jogadores. Ter um grupo popular como Imagine Dragons fazendo uma colaboração com a Riot ajudou a validar o LoL enquanto jogo e esport. 

1. “RISE” (ft. The Glitch Mob, Mako, and The Word Alive) 2018

Quatro anos de vídeos do Mundial culminam em “RISE”. A música “RISE” já preenche todos os requisitos. Ela cresce de forma satisfatória, tem um refrão poderoso e letra brega inspiradora. “RISE” nos leva várias vezes na viagem pelo refrão cativante e ao mesmo tempo faz com que cada uma delas pareça nova. E a ponte estranhamente desolada nos deixa esperando ansiosos pelo retorno do refrão.

As letras representam perfeitamente o espírito do Mundial e o que significa competir em um palco internacional. Isso é enfatizado no vídeo. “RISE” conta a jornada épica de Kang “Ambition” Chan-yong para se tornar campeão. No vídeo, ele encontra desafios, mas continua se esforçando até provar que é um campeão.

Além disso, a música e o vídeo se complementam perfeitamente. Os momentos de intensidade têm visuais igualmente energéticos. Da mesma forma, partes mais lentas encontram cenários mais serenos. Para melhorar, tudo nesse vídeo, até o campo de trigo, é visualmente impressionante.

“RISE” não é necessariamente a mais inovadora das músicas dos Mundiais, mas pega ideias que a Riot já tinha usado antes e melhora. No pacote completo, “RISE” fica em primeiro por causa da combinação da música com o vídeo. 

Artigo publicado originalmente por Elena Endres em inglês no Dot Esports no dia 10 de outubro.