As mudanças propostas para a rota do meio do LoL estão no caminho errado

A Riot parece estar evitando falar sobre o principal problema: sustento.

Imagem via Riot Games

Uma das pragas dos últimos meses de League of Legends, tanto nas ranqueadas quanto nas partidas profissionais, tem sido a forte presença dos jogadores da rota do meio em outras rotas. Isso normalmente permite que eles façam jogadas decisivas nas outras rotas e ganhem vantagem própria, mesmo que fiquem fora de sua rota por longos períodos de tempo. O impacto que isso costuma ter no jogo é alto e, apesar de a Riot Games ter tentado reduzir o problema enfraquecendo campeões e fazendo outras alterações de balanceamento, a raiz do problema está nos próprios fundamentos do design do jogo.

As mudanças que foram anunciadas recentemente para a rota do meio, originalmente programadas para a atualização 10.13, parecem não dar conta do problema. O impacto da rota do meio no jogo é resultado direto da retirada gradual de limites para os recursos ao longo dos anos, o que permite que os campeões tenham acesso fácil a sustento com as novas runas, itens e bônus da selva. Em vez de se concentrar nessas três áreas, que são o problema principal, as mudanças propostas pela Riot têm como objetivo reduzir o ritmo do ganho de ouro da rota do meio pelos primeiros 15 minutos. Também seria mais fácil voltar à base e à rota, porque a velocidade das tropas da rota do meio seria reduzida.

A Riot adiou essas mudanças para a atualização que virá depois do Campeonato Mundial de League of Legends, mas os rumos das propostas ainda levantam dúvidas sobre a capacidade dos desenvolvedores de resolver o poder da rota do meio.

Runas Reforjadas: de volta às raízes

LoL runes
Imagem via Riot Games

Na pré-temporada 7, as runas e maestrias passaram por uma reformulação completa e foram combinadas em uma só árvore. As novas runas que poderiam mudar o meta e quebrar as regras tradicionais apareceram na árvore de Inspiração.

Entrega de Biscoitos e Tônico de Distorção no Tempo removeram as limitações tradicionais de recursos da rota do meio. O gerenciamento de Mana não era mais necessário enquanto habilidade depois da introdução dessas runas. Era fácil para os jogadores evitarem problemas com Mana, escolhendo essas duas runas e começando com a Poção Corrupta.

Só a poção já garante muito do sustento necessário para limpar ondas de tropas e ir ajudar outras rotas com metade da sua Mana máxima. Adicionando os biscoitos e o Tônico de Distorção no Tempo, você passa a poder fazer isso mais facilmente, enquanto ainda tem a habilidade de empurrar as ondas de tropas sem gastar muita Mana.

Além desses dois bônus, outras runas como Conquistador e Caça Voraz ajudam a manter a vida dos campeões nas rotas, já que não é mais tão necessário voltar para a base para recuperar vida. Conquistador, no máximo de acúmulos, concede cura com base no dano causado. Caça Voraz concede cura com base no dano causado com habilidades. As duas runas são problemáticas em um jogo tenso onde você precisa fazer com que o oponente recue para construir vantagem na fase de rotas.

Diversos campeões da rota do meio, tanto com dano físico quanto com dano mágico, têm vantagem com essas runas, especialmente os que podem usar habilidades seguidas rapidamente para ativar Conquistador. Quando essas runas são combinadas com o sustento nativo dos campeões, presente em seus atributos e habilidades, fica bem difícil fazer com que recuem ou puni-los por jogadas erradas.

Plantas da Selva

Rift Scuttler changes
Imagem via Riot Games

Além das runas citadas acima, esta temporada mudou como os dragões aparecem e reformulou as plantas da selva. Uma delas, a Frutomel, às vezes aparece em rios e restaura Vida e Mana a qualquer um que colher seus frutos. A planta fica perfeitamente posicionada em direção às rotas superior e inferior, permitindo que os jogadores da rota do meio parem e recuperem um pouco de Vida ou Mana antes de chegar a seus destinos.

Se a Frutomel ficasse mais para dentro da selva e não no rio, poderia reduzir o poder dos jogadores da rota do meio. Assim, não seria mais tão fácil usar toda sua Mana e restaurá-la rapidamente antes de chegar em outra rota para ajudar. Isso dificultaria que os jogadores tivessem acesso à fruta, já que teriam que entrar na selva. Haveria a possibilidade de encontrar o caçador inimigo e também seria necessário passar mais tempo longe de sua própria rota, arriscando perder experiência sem conseguir um abate para compensar o tempo.

Sustento até dizer “chega”

Imagem via Riot Games

A maior parte dos conjuntos de habilidades mais novos inclui alguma forma de recuperar Vida ou Mana e um efeito de cura. Sett, Senna e Aphelios, os últimos três campeões lançados, têm algum tipo de sustento entre suas habilidades. Enquanto Senna e Aphelios têm atormentado a rota inferior e não tiveram presença no meio, Sett tem sido uma das escolhas mais concorridas no meio só pelo fato de suas habilidades serem tão fortes.

Apesar de, no passado, a Riot ter evitado dar tanto sustento aos campeões para permitir respostas do oponente, o design mais inovador tem ignorado esse aspecto, introduzindo diversos tipos de sustento nos campeões mais recentes. Senna tem uma habilidade de cura em área no Q, a foice de Aphelios concede a ele grandes quantidades de roubo de vida e a passiva de Sett concede Regeneração de Vida com base em sua vida perdida.

Com esse tipo de design, os campeões mais recentes não precisam se preocupar tanto com recursos e gerenciamento de Mana na fase de rotas quanto os personagens mais antigos.

Possíveis soluções para resolver o problema da rota do meio

As mudanças propostas pela Riot para a rota do meio podem até indiretamente facilitar a saída para outras rotas, já que haverá menos tropas grandes para sustentar o dano recebido da torre e permitir o avanço do seu oponente. As mudanças que deveriam acontecer estão no sustento, em habilidades e runas como Tônico de Distorção no Tempo, Entrega de Biscoitos, Caça Voraz e Conquistador.

Por fim, se houver alterações a Frutomel, os jogadores podem ficar sem Mana e precisar voltar à base depois de limpar ondas de tropas. Não iriam só empurrar o jogo infinitamente e invadir outras rotas sem enfrentar nenhuma consequência.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 17 de junho.