Imagem via Riot Games

Como as Pequenas Lendas do Conjunto 4 do TFT evoluíram além das expectativas, musical e artisticamente

Adorável, majestoso e orgulhoso.

Cada uma das Pequenas Lendas dragões em Teamfight Tactics Destinos conseguiu brilhar entre um número crescente de avatares, unindo os jogadores através dos sons universais da música.

Recommended Videos

Pequenas Lendas foram o primeiro recurso personalizável em TFT, contendo arte de fundo simples e emotes básicos como uma ferramenta de expressão. Desde o lançamento do autobattler, o número desses avatares adoráveis ​​e ferozes cresceu de 6 para 28, levando a equipe a novos limites por meio da música e das artes. Desde a batida de barriga de Choncc até os riffs de guitarra de Ao Shin e Umbra, os três novos dragões em TFT se destacam por suas habilidades musicais e estilo.

O animador do Conjunto Quatro, Paul Jarvis, teve a ideia de uma jam session envolvendo as três Pequenas Lendas dragões. O animador do TFT estava “aos poucos tentando fazer algo musical com as Pequenas Lendas” por algum tempo, Jarvis disse ao Dot Esports. A música foi incorporada às Pequenas Lendas individuais algumas vezes no passado, mas esta é a primeira vez que os jogadores podem coordenar um rockfest improvisado simplesmente com emotes.  

Vídeo via 
Fernando Oliveira

“A música é universal e há algo realmente satisfatório em comandar seu personagem para fazer algo rítmico em um jogo”, disse Jarvis. “Passei um fim de semana compondo uma música e rapidamente criei algumas animações básicas para combiná-las e apresentei para a equipe.” 

Choncc tocando a bateria sozinho foi a base do interlúdio, seguido por Ao Shin na guitarra, que acabou levando a algumas experiências. Jarvis testou a Umbra tocando um keytar, junto com outros instrumentos como um trompete e até chiptunes. A experimentação deixou a banda sem um “som coeso”, levando Jarvis a usar apenas guitarras e bateria.

“Eu realmente tentei muito não ir imediatamente para uma banda de rock, mas foi assim que evoluiu naturalmente”, disse Jarvis. “Choncc foi meio que a base de tudo porque achei que seria muito fofo para eles tocarem bateria e no início pensamos que também seria legal ter Ao Shin tocando uma guitarra elétrica como emote, então juntei as duas ideias e passei algum tempo tentando encontrar um terceiro instrumento que as acompanhasse.”

Colaborando com o designer de som Oscar Coen, a banda das Pequenas Lendas começou a ganhar forma. Coen era o guitarrista principal do Berklee College of Music em Boston, tocando e gravando a guitarra para Ao Shin e Umbra. Ele então deu um toque final na batida de Choncc e a banda ganhou vida. 

A equipe rapidamente percebeu durante o teste no APT que coordenar jam sessions improvisadas era um pouco mais complicado do que o previsto, já que os dragões soavam mais como uma banda de escola primária se aquecendo do que uma verdadeira banda de rock nas mãos de jogadores pressionando emotes. Para ajudar os jogadores a coordenar suas Pequenas Lendas, Jarvis adicionou uma dica visual que consistia em um círculo diminuindo de tamanho, semelhante a um vocalista ou diretor de banda contando as batidas para começar. 

Dragões em uma banda de rock certamente foram um sucesso entre os jogadores de TFT, mas seu design geral começou muito antes da criação de Destinos, disse o produtor associado de Pequenas Lendas, Karl Abad ao Dot Esports. A equipe passou por “uma tonelada de iterações e designs de espécies diferentes” antes de saber como o conjunto seria. 

“Nós sabíamos que queríamos um que fosse majestoso e elegante”, disse Abad. “Nós também sabíamos que queríamos um que fosse um dragão ocidental típico e que fosse fofinho e adorável.”

Uma vez que o tema espiritual foi solidificado para o Conjunto Quatro do TFT, a equipe de Pequenas Lendas foi capaz de trazer Ao Shin, Umbra e Choncc à vida, com Choncc como o “fofinho e adorável” recebendo mais atenção. Foi o ilustrador da IU, Fortune, que sugeriu Choncc como um dragão rosa, orgulhosamente afirmando: “é a melhor coisa que já fiz para as Pequenas Lendas”.

E enquanto o rosa é inequivocamente uma cor adorável em Choncc, a contribuição de Fortune para a arte de Pequenas Lendas vai além de sugerir cores básicas. Fortune foi trazida pela Riot para “atualizar” a arte inicial do TFT e desenvolver as Pequenas Lendas além da filosofia original de ser “simples e direto”. 

Devido ao número de Pequenas Lendas em cada conjunto, as primeiras versões normalmente tinham um fundo sólido para evitar que os artistas ficassem “oprimidos” e “morressem quando você terminar de pintar o último”. Mas sob a supervisão da Fortune, a equipe começou a incorporar uma filosofia de artes de League of Legends durante o festival Florescer Espiritual, movendo-se em direção a uma arte de Pequenas Lendas que é tipicamente aplicada a campeões e skins.

“Tentei pressioná-los o máximo possível”, disse Fortune. “Como com este conjunto [Destinos], temos antecedentes para todos os dragões.” 

Os fundos da arte, em conjunto com designs básicos de artistas conceituais como David Ko, transformaram Ao Shin, Umbra e Choncc em algumas das melhores Pequenas Lendas lançadas desde o primeiro conjunto. Os jogadores podem obter qualquer versão dos dragões do TFT Destinos, com exceção das versões lendárias, comprando suas versões de uma estrela na loja da Riot. E graças ao novo sistema de Fragmentos Estelares do Conjunto Quatro, os jogadores não precisam mais quebrar ovos para atualizar suas Pequenas Lendas favoritas. 

Uma tonelada de trabalho foi canalizada para os dragões do Conjunto Quatro Destinos e a equipe de Pequenas Lendas está pronta para se superar mais uma vez com o Conjunto Cinco em 2021. De mais interlúdios musicais a artes nítidas e design detalhados, uma evolução de Pequenas Lendas em TFT está apenas começando. E talvez um dia os jogadores consigam adquirir um dragão de pelúcia no futuro. A equipe de Pequenas Lendas do TFT certamente espera que sim e já apostou no Choncc.

Artigo publicado originalmente em inglês por Danny Forster no Dot Esports no dia 05 de outubro. 

Author
Image of Raul Rocha
Raul Rocha
Freelance writer for Dot Esports. Playing video games since childhood, Raul Rocha has over twenty years experience as a gamer and four years translating and writing gaming news.