Ubisoft explica o sistema de penetração dos membros de Rainbow Six Siege

R6 vai fazer muito mais sentido com penetração das balas.

Imagem via Ubisoft

A Operation Shifting Tides apresenta dois novos agentes a Rainbow Six Siege, mas a maior mudança ao jogo será a inclusão do novo sistema de penetração de membros.

A Ubisoft publicou hoje no blog do desenvolvedor um texto que explica detalhadamente a grande mudança que o jogo terá na Operation Shifting Tides. A penetração dos membros sempre foi um assunto delicado na comunidade. Há diversos casos de jogadores que atordoaram inimigos com granadas e não conseguiram atirar na cabeça por causa de animações que os faziam cobrir suas cabeças. São esses os momentos de R6 que podem fazer com que teclados sejam jogados pela janela. A Ubisoft pretende remediar a situação com o novo sistema de penetração de membros.

A intenção da desenvolvedora é “aumentar a letalidade dos disparos e oferecer orientação quanto aos pontos atingidos pelos projéteis”, segundo o texto. A falta de penetração das balas levou à impressão errada de imprecisão. Em R6, toda bala conta. É um jogo que tem uma mecânica de um tiro na cabeça, então se parece que a bala deveria acertar e não acerta, parece muito ruim. No caso de penetração de membros, é uma ocorrência comum.

A Ubisoft está cuidando do novo sistema com categorias de penetração. As categorias são Sem Penetração, Penetração Simples e Penetração Completa e são divididas por tipo de arma. Por exemplo, a maior parte das espingardas e pistolas-metralhadoras entra na categoria Sem Penetração, o que faz sentido se levarmos em conta o poder dos outros tipos de arma do jogo.

Imagem via Ubisoft

Na Penetração Simples, estão incluídos os rifles de assalto, as submetralhadoras, as metralhadoras leves, as pistolas e os revólveres. Essa parece a categoria que terá maior impacto, já que cobre a maior parte das armas. A Penetração Simples garante que “um disparo contra uma parte do corpo irá potencialmente acertar outra atrás do primeiro ponto atingido daquele Agente”, segundo a Ubisoft. O exemplo acima da animação de atordoamento fazendo com que o tiro na cabeça não seja possível é exatamente o que a Penetração Simples vai cobrir. Não há chances de a bala atingir uma terceira área do corpo ou atravessar um corpo e causar dano a um atrás dele, de acordo com a Ubisoft.

A Penetração Completa é mais ou menos o que parece ser. É a categoria mais limitada e inclui rifles atiradores e fuzis de precisão selecionados. Tiros dessas armas serão capazes de atravessar completamente um corpo e causar 70% do dano inicial ao segundo corpo. A Penetração Completa usa as mesmas regras do modificador de dano que a Penetração Simples.

Os modificadores de dano serão peça-chave na decisão de quanto dano será causado quando uma bala atravessa um membro ou corpo inimigo, dependendo da categoria. Se o jogador for atingido na mão que estiver bloqueando o rosto, por exemplo, o dano causado será de um tiro na cabeça. Os modificadores mais altos sempre terão prioridade sobre os mais baixos.

O nível de blindagem é outro fator decisivo em relação ao dano inicial causado ao membro. A Ubisoft disse que Blindagem 1 receberá dano total, Blindagem 2 receberá 10% a menos e Blindagem 3 receberá 20% a menos.

Parece que a Ubisoft pode ter algo muito bom com essas duas mudanças. Era frustrante não acertar os tiros na cabeça porque não havia um sistema de penetração das balas, então isso deve ajudar tanto em termos de conforto quanto na sensação de “justiça” do jogo. As mudanças também podem ajudar a reduzir a ideia negativa que existe sobre a precisão de R6.

A Operation Shifting Tides já está disponível no Servidor de Testes e a Ubisoft incentiva que os jogadores deem feedback e comentem se encontrarem problemas ou erros. Para saber mais sobre o novo sistema de penetração dos membros de Rainbow Six Siege, acesse o site oficial aqui.

Artigo publicado originalmente em inglês por Colton Deck no Dot Esports no dia 13 de novembro.