Brasil joga maior partida de Hearthstone da história do Mundial mas perde para Portugal

A seleção não conseguiu se recuperar do baque de 78 rodadas.

Imagem via Blizzard Entertainment

A seleção brasileira de Hearthstone jogou uma partida de uma hora e 30 minutos contra a seleção de Portugal pelo mundial Hearthstone Global Games na tarde dessa terça-feira e perdeu.

A partida quebrou o recorde de maior duração da história do campeonato. O recorde anterior de uma hora e três minutos também foi feito nessa edição do Global Games.

A partida recordista de hoje foi a primeira partida da série melhor de cinco, que o Brasil perdeu por 0-3.

O Guerreiro Controle do brasileiro Lucas “Lucas” Claudio e o Sacerdote Benedictus do português Guilherme “TheViper94” Oliveiraparticiparam dessa quase maratona de 78 rodadas de Hearthstone. Se os jogadores tivessem sobrevivido a outras 11 rodadas totais, a partida teria chegado no limite de 89 rodadas, talvez pela primeira vez na história do Hearthstone competitivo, e terminaria empatada automaticamente.

A duração absurda da partida aconteceu pela enorme quantidade de efeitos de criação de cartas e de devolver cartas aos dois baralhos. Cartas como Arcebispo Benedictus, Azalina Furtalma e Grito Psíquico causaram esses efeitos e misturaram os baralhos de forma que as duas classes tiveram acesso a quase todas as cartas do oponente em certo ponto da partida.

Os dois jogadores misturaram tanto seus baralhos que foi difícil encontrar a condição de vitória original de cada um. Lucas já havia usado seu Meca’thun sem a combinação ideal perto da segunda dezena de turnos, enquanto TheViper94 usou seu Meca’thun copiado para eliminar o do oponente. Então, a partida virou uma hora e 30 minutos de uma disputa pouco emocionante para ver quem recuperaria mais vida e teria mais armadura para ser o último a morrer por falta de cartas no baralho.

Mas as cartas do brasileiro Lucas acabaram no turno 70. O dano de fadiga por não ter cartas no baralho acumulou nas rodadas seguintes, e as cartas que sobraram em sua mão não foram o suficiente para parar TheViper 94. Portugal venceu a partida.

O Arcebispo Benedictus português não poderia mais aparecer na partida. Mas o brasileiro podia.

Na segunda partida, o brasileiro Lucas “Rase” Guerra usou seu próprio baralho de Sacerdote com Arcebispo Benedictus. Para a alegria do público, a demora de Rase para conseguir sacar essa carta e a velocidade do Druida de Malygos usado pela seleção portuguesa não deixaram a partida ser longa. Portugal venceu com a combinação de Malygos duplo com Fogo Lunar.

Não havia risco de uma partida tão longa no terceiro confronto. O Caçador de Feras do brasileiro Rodrigo “Perna” Castro buscou dominar o meio de jogo com seus Zumbichos, mas o poder do Paladino de Mecanoides de Portugal manteve o controle do fim de jogo e levou o Brasil à sua terceira e última derrota na série.

O Brasil foi jogado para a chave dos perdedores de seu grupo no Hearthstone Global Games com essa derrota. A seleção enfrentará o perdedor de Chile e Espanha e deverá vencer para se manter viva na competição. Caso vença, o Brasil ainda precisa vencer uma segunda série para sobreviver à fase de grupos e disputar a chave presencial final do mundial na BlizzCon 2018 em novembro.