Robinho, do Street Fighter, está banido de eventos da Capcom após relato perturbador envolvendo abuso sexual

A Capcom também espera que as autoridades locais tomem providências no caso.

Imagem via Capcom

A Capcom Pro Tour anunciou oficialmente que o jogador profissional de Street Fighter Robson “Robinho” Oliveira foi banido permanentemente e mundialmente de todo e qualquer evento realizado pela ou relacionado à Capcom. Isso aconteceu após o jogador contar, em uma transmissão ao vivo, uma história horrenda “em que descreveu sua participação em atos repreensíveis e atrocidades”.

Em uma de suas transmissões, Robinho contou como se vingou de uma ex-namorada, que chamou de “vagabunda”, por uma suposta traição. No vídeo, Robinho conta que “encheu a cara” com ela, depois chamou oito homens para a casa onde eles estavam e deixou que fizessem o que quisessem com ela, e o próprio Robinho participou do ato.

Atenção: O vídeo abaixo contém referências a abuso sexual coletivo.

Após a divulgação do vídeo, em 6 de janeiro, a Capcom imediatamente começou a remover publicações e tweets sobre a participação dele na Pro Tour, depois removeu o jogador da lista de classificação. Robinho também foi banido da maioria dos eventos locais no Brasil, segundo fontes como o Globo Esporte. Sua patrocinadora, PATOZ Team, não o representa mais.

Em entrevista ao Globo Esporte, Robinho diz que a história não aconteceu de verdade e que os comentários da transmissão foram “na zoeira”. Robinho tinha se classificado para a Capcom Cup VIII, marcada para fevereiro.

Artigo publicado originalmente em inglês por Scott Robertson no Dot Esports no dia 07 de janeiro.