Depois de zerar Jump King com o queixo, HandicapableOne espera que sua stream continue inspirando jogadores com deficiência

"Faça tudo o que puder."

Imagem via Nexile

O streamer da twitch Sean “HandicapableOne” Cahill chegou às manchetes no início desta semana, quando zerou Jump King em 66 horas árduas. Só zerar o jogo de plataforma já é um feito por si só. Esse jogo já frustrou toneladas de jogadores e criadores de conteúdo que poderiam perder horas de progresso com um passo em falso.

Mas o que tornou verdadeiramente impressionante a experiência do HandicapableOne? Ele zerou com o queixo.

HandicapableOne tem Distrofia Muscular de Duchenne, uma rara doença progressiva que enfraquece os músculos que ele tem desde o nascimento. E embora essa condição possa impedir jogadores de jogar, o HandicapableOne estava determinado a encontrar uma maneira de conseguir.

“Eu mesmo pensei que não seria mais capaz de jogar, mas fiz minha própria pesquisa e encontrei uma configuração que funcionou para mim”, disse o jogador à Dot Esports. “Estou feliz por ter encontrado algo que funcionou porque sou jogador desde criança.”

“Algo que funcionou” é muito pouco. HandicapableOne criou uma configuração criativa que lhe permite seguir seu “chamado”, o streaming.

Foto via HandicapableOne

Para transmitir, o streamer usa um laptop que possui uma tela adicional acima. Um suporte que repousa sobre a mesa da cozinha, operado por um braço dobrável, segura um único controle Nacon PlayStation 4 com velcro. E para mapear corretamente as entradas do teclado e do mouse para os botões no controle, o HandicapableOne usa o programa Antimicro.

Mas a parte mais crucial da configuração é um aquecedor Dyson para manter a stream quentinha, supondo que Jump King não o faça suar o suficiente.

A jornada de streaming do jovem jogador deu várias voltas antes de aterrissar no jogo de plataformas do Nexile.

“Tentei transmitir Hearthstone alguns anos atrás, mas eu estava no Wi-Fi e simplesmente não era jogo para mim”, disse HandicapableOne. “Então, em outubro de 2019, eu transmiti Battletoads, mas foi muito difícil. Então, em dezembro, eu estava assistindo o Elajjaz jogar Jump King e pensei em experimentar o jogo. Eu pensei que as pessoas gostariam de me ver vencer um jogo muito difícil com meu queixo.”

E as pessoas realmente queriam vê-lo vencer um jogo muito difícil com o queixo. O clipe da Twitch do momento final recebeu quase 80.000 visualizações, uma conquista bastante grande para um pequeno streamer.

E embora a notoriedade seja definitivamente uma meta para qualquer criador de conteúdo, as ambições do streamer em seu canal são um pouco mais altruístas do que isso.

“Recebi muitas palavras gentis de pessoas que dizem que foram inspiradas pelos meus jogos”, disse HandicapableOne. “Algumas pessoas com deficiência disseram que eu as inspirei a voltar a jogar. Eu posso inspirar outras pessoas e mostrar a todos que, se você não pode fazer algo, procure alternativas. Faça tudo o que puder.”

HandicapableOne se junta a um elenco de lendas capazes de fazer coisas incríveis de maneiras não convencionais. O jogador de League of Legends, Tony “Saskio” Chau, alcançou o nível Platina com duas contas ao mesmo tempo, usando as mãos e os pés. E o streamer da Twitch, Rocky “RockyNoHands” Stoutenburgh, usa um QuadStick operado pela boca para chutar bundas em jogos de tiro de primeira pessoa, como PUBG e Scum.

E agora, HandicapableOne conseguiu algo que as pessoas mal conseguem fazer com as mãos usando o queixo.

Os jogadores podem assistir ao HandicapableOne no seu canal da Twitch, onde ele está enfrentando a infame série Dark Souls.

Artigo publicado originalmente em inglês por Andreas Stavropoulos no Dot Esports no dia 17 de janeiro.