CodeMiko explica a razão por trás do banimento da Twitch, sua abordagem de criação de conteúdo e planos para a stream de retorno

A streamer quebrou seu silêncio sobre a causa de seu banimento de duas semanas e deu uma visão sobre projetos futuros.

Screengrab via CodeMiko

A popular VTuber e streamer da Twitch, CodeMiko, é conhecida por suas streams criativas que permitem que os espectadores se envolvam influenciando partes da transmissão. Ela usa sua configuração e personagem virtual para interagir com seu público, que consiste, em média, em cerca de 8.000 espectadores por transmissão, e outros criadores de conteúdo por meio de vários segmentos e entrevistas.

O Technician, ou o desenvolvedor por trás de Miko e da transmissão, faz toda a codificação, engenharia e manipulação por conta própria e está sempre aumentando o nível de interatividade com a transmissão, descrevendo-a como “quase um RPG interativo”.

A natureza de algumas entrevistas, no entanto, levou a Twitch a banir Miko da plataforma, incluindo dois banimentos de curto prazo em setembro de 2020. Ela se viu suspensa da plataforma mais uma vez quando sua conta foi banida em 19 de janeiro, desta vez por duas semanas. Nem Miko nem a Twitch informaram ao público da streamer de quase 360.000 seguidores o que causou o banimento.

Após seu terceiro banimento, Miko falou com a Dot Esports sobre o que levou à isso, como ela aborda a criação de conteúdo e seus planos futuros, incluindo detalhes sobre sua stream de retorno planejada para 5 de fevereiro às 16h00. 

Você disse que tinha mais detalhes sobre o motivo pelo qual seu canal foi banido, e que não foi por usar a palavra “simp” (um termo pejorativo). Qual foi o motivo dessa vez? Quanto tempo dura o banimento?

Miko: Não foi por causa da palavra “simp”. É uma longa história, mas resumindo, eu errei quando estava conversando com um amigo e colega streamer e meio que me perdi no momento. 

Foi algo específico que quebrou os Termos de Serviço da Twitch?

Então, eu tenho esse conteúdo de entrevista e basicamente apresento outros streamers. Durante uma entrevista, eles costumam compartilhar coisas comigo e enviá-las para que eu mostre na stream. Então, eles vão compartilham e eu vou colocar na tela. 

Nesse momento em particular, estávamos conversando sobre assédio feminino online e perguntei a ela qual foi o pior comentário que ela já recebeu. Quando vi o e-mail, era muito ruim e parecia mais uma ameaça do que um comentário. Pela minha experiência, as ameaças quase nunca vêm do endereço de e-mail real do usuário, mas quando eu joguei a captura de tela, foi basicamente isso que me baniu. Eu violei os termos [de serviço] sobre privacidade.

Obviamente, minha amiga não queria que isso acontecesse, ela é muito doce, e acho que nós duas esquecemos isso porque estávamos muito focados na ameaça do e-mail, mas aprendi minha lição.

O que tornou esse banimento diferente dos dois que seu canal recebeu em setembro?

Sim, esses também foram pequenos deslizes. É uma pena, mas só preciso ter mais cuidado com coisas assim e trabalhar para evitar que aconteçam no futuro. 

Meu conteúdo não é sobre essas coisas, é sobre a inovação por trás do livestreaming e eu só quero mostrar o que posso fazer e o lado inovador da minha stream. Na verdade, estou muito animada para voltar, porque tenho usado esse tempo para trabalhar em algumas coisas novas e tem sido bom.

O banimento é horrível, mas ao mesmo tempo meio que me deu esse tempo para realmente trabalhar nas minhas coisas e estou muito animada para mostrar quando eu voltar. 

Como a Twitch tem se comunicado com você desde o seu banimento?

Estou contratando um gerente de contas e acho que isso vai ajudar muito no que diz respeito à comunicação com a Twitch. Assim que eu conseguir um, espero que a comunicação seja muito mais fácil no futuro. 

Você vai abordar o streaming de forma diferente quando voltar?

Quero me concentrar mais no lado inovador do meu conteúdo e realmente ir mais na direção de criar coisas divertidas para impulsionar essa interação ao vivo, em termos de minijogos que posso jogar com o chat e os convidados durante nossas entrevistas. Eu imagino que será como minhas entrevistas, mas fortalecida. 

Basicamente, eu quero me concentrar em adicionar aspectos mais interativos ao chat que ajudem no humor das entrevistas e situações dentro das entrevistas e apenas adicionar um monte de cor ao conteúdo. 

Estou sempre super animada para coisas novas. Atualmente, eu estava trabalhando apenas no conteúdo da entrevista, mas agora vou implementar aspectos do game show nela também. Eu tenho ido de frente com a parte ao vivo e interatividade disso. Estou planejando minha stream de retorno para ter grandes streamers com os quais trabalhei e torná-la um evento realmente divertido. 

Também estou apenas planejando meu conteúdo diário e terá coisas diferentes além de entrevistas.

Será que poderia falar mais sobre a forma como tem trabalhado em seu conteúdo durante o banimento, quais são seus planos para a stream de retorno?

Eu quero que seja um grande game show com meus grandes amigos streamers e quero levantar o hype! Será algo que nunca foi feito antes na Twitch, em termos de como executarei minha versão do conteúdo. 

A Twitch já fez game shows antes, mas eles os fizeram de uma maneira que é muito 2D com câmeras e um tipo de sobreposição onde é plano. Mas com minhas capacidades de VTuber no espaço 3D, posso ter a sensação de que eles estão realmente dentro de um estúdio. 

Em minhas entrevistas, os streamers aparecem em um monitor e é assim que os entrevisto, mas desta forma vou fazer isso dando a eles corpos de robôs, mas suas cabeças serão como a tela do computador. Assim, eles terão certos controles de como podem mover seus corpos de robôs e parecerão que estão mais dentro do espaço porque terão elementos adicionais que são usados ​​em programas de jogos, como um pódio e haverá cortes de câmera no streamer com o rosto na cabeça do robô. Vai parecer muito mais envolvente dessa forma.

Eles poderão interagir com uma roda que eles giram, haverá animações, então quando eles girarem, seu personagem vai girar a roda e ainda poderemos ver a expressão do streamer porque sua câmera está sendo mostrada na tela no rosto da personagem robô. Coisas como essa são a sensação que meus programas de jogo têm, e o chat sempre pode lançar coisas divertidas sobre nós durante o show para mexer com os streamers ou fazer coisas acontecerem com os avatares. Estou animada para estrear isso quando eu voltar. 

Seu conteúdo aumentou drasticamente nos últimos meses. Como você conseguiu desenvolver seu canal? O que você tem feito que acha que funciona?

Eu tenho um streaming desde o final de março, início de abril e, ao longo dos primeiros meses, era apenas eu tentando coisas novas todos os dias. Minha agenda costumava ser muito louca, onde eu ia dormir por volta das 21h, acordava às 2h, desenvolvia até as 12h e depois transmitia. Eu transmitia por cerca de quatro ou cinco horas e então comia e fazia outras coisas e então repetia tudo de novo.

Durante esse tempo, o desenvolvimento foi muito difícil porque eu rapidamente codificava as coisas para apenas ver o que aconteceria no chat. Eu estava apenas testando porque não havia nenhum livro de regras quando se trata desse tipo de conteúdo ao vivo que diz coisas como “o chat prefere quando pode gerar coisas aleatórias, minijogos e interação que fica mais em segundo plano”. Eu tive que descobrir o que o chat gosta naquele espaço interativo porque muitas coisas funcionaram, mas muitas coisas que eu construí tive que descartar porque na minha cabeça funcionou, mas quando eu testei ao vivo, o chat ficou realmente entediado. 

Aqueles primeiros meses foram muito aleatórios e tentando descobrir como eu poderia me divertir com o chat. E então cheguei ao ponto em que estava fazendo o conteúdo da entrevista, apenas durante uma ligação do Discord, e percebi que o chat realmente gostava de apenas ficar sentado e me assistir falar e interagir com outra pessoa enquanto era capaz de afetar a entrevista de várias maneiras cômicas. Então, eu dei força a isso e criei um novo ambiente para isso com a TV e o formato que uso e o chat realmente gostou. 

Foi muito bom, então decidi continuar com isso por enquanto, mas ainda estou pesquisando e desenvolvendo mais coisas que posso fazer. Um dos maiores projetos que tenho é o de criar um mundo de RPG onde Miko possa se aventurar e os chefões sejam grandes streamers, e o chat e Miko tenham que trabalhar juntos para derrotar o chefe, como Hasan [HasanAbi], talvez fosse um Hasan gigante. 

É um processo que estou constantemente passando e essa ideia pode nem dar certo. Pode ser que o chat não se divirta e, nesse caso, vou descartar a ideia e tentar algo novo, mas tem sido apenas um processo de desenvolvimento contínuo e acho que é o que mais gosto. Eu adoro fazer coisas e ver se elas são divertidas, e se não forem, eu jogo fora. Se for divertido, eu continuo e mantenho assim. 

Além do chat curtindo o conteúdo, o que fez você se empenhar tanto nas entrevistas no stream? Qual foi a ideia por trás disso? 

Antes de começar as entrevistas eu só conversa com o chat o tempo todo, mas tendo outra pessoa para entrevistar, não sei. Eu só sinto que meu conteúdo ficou mais engraçado porque eu pude responder ao que alguém disse, criar mais humor com isso, perguntando e respondendo. Isso só gerou mais momentos engraçados e o chat gostou muito da interatividade com o streamer que estou entrevistando. Acho que criou uma atmosfera muito divertida, às vezes caótica, às vezes mais séria. 

Quando entrevisto alguém, posso descobrir onde está o seu nível de conforto, para isso eu pergunto antes da entrevista o que eles se sentem confortáveis ​​em compartilhar e não compartilhar e se eles estão bem comigo ocasionalmente trollando-os em algumas coisas, todas tipo de coisas. Em alguns streamers, eu adoto uma abordagem bem descontraída e podemos ser mais calmos ou sérios para ter uma boa conversa, mas com outros, eu sei que todos eles podem ser trollados e o humor parte disso, então posso mexer um pouco com eles e torna-se um vai e vem divertido. 

No geral, o formato de entrevista foi muito divertido e estava indo muito bem com o chat, então decidi continuar e inovar com ele. 

O que você acha do crescente impacto dos VTubers e estilos semelhantes de criadores se tornando mais comuns no streaming e na criação de conteúdo, especificamente quando começa a se expandir para os mercados ocidentais cada vez mais?

Eu acho ótimo! Eu realmente gosto do lado criativo da Twitch, e é realmente emocionante ver diferentes criadores de conteúdo experimentando coisas novas e trazendo conteúdo novo e inovador, porque isso apenas mostra que você pode fazer coisas realmente legais apenas com transmissão ao vivo. 

Eu sinto que isso torna o futuro do entretenimento neste formato digital e de transmissão ao vivo realmente emocionante. Espero que continue se expandindo e que mais coisas novas apareçam no lado criativo da Twitch.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cale Michael no Dot Esports no dia 23 de janeiro.