Sharks Esports é bicampeã da ESL LA League e garante vaga nas finais da Pro League

A equipe brasileira dominou os argentinos da Isurus Gaming em quatro mapas.

Imagem via ESL Brasil

A equipe brasileira Sharks Esports foi bicampeã da ESL LA League nessa madrugada de quinta-feira em São Paulo. Os brasileiros venceram a equipe argentina Isurus Gaming por três mapas a um. O título dá à Sharks a vaga sul-americana nas finais globais da ESL Pro League em dezembro.

A série melhor de cinco deveria começar às 18h30, mas um problema no áudio atrasou o início do primeiro mapa, Nuke, para 19h30.

A Isurus venceu a primeira rodada, mas um dos jogadores da Sharks teve problemas em seu computador logo em seguida. Toda a equipe também teve problemas na comunicação por voz. A partida foi pausada por mais uma hora antes de voltar às 20h30 com o placar zerado.

As quase duas horas de atraso pareceram fortalecer a Sharks.

A Sharks fez uma primeira metade com três sequências de vitórias de rodadas, interrompidas por vitórias avulsas dos argentinos. Os brasileiros dominaram o placar e fecharam a primeira metade por 11-4.

A Sharks venceu quatro rodadas e perdeu a quinta na segunda metade, deixando o placar em 15-5. A vitória da Sharks veio na frieza de Rodrigo “RCF” Caponero da Sharks contra Roberto “Reversive” Themtham. RCF tinha a bomba plantada para seu time, e uma porta o separava do jogador da Isurus e da bomba. RCF não caiu nos desarmes fingidos do argentino e o atrasou o suficiente para fazer a bomba explodir. A Sharks venceu Nuke por 16-5.

Renato “nak” Nakano e Leonardo “leo_drunky” Oliveira fizeram as jogadas mais decisivas em momentos de desvantagem numérica.

O segundo mapa do confronto foi Mirage. As duas equipes inverteram o desempenho Nuke, e a Isurus venceu a primeira metade por 11-4.

A Sharks tentou reagir com boas atuações de nak e diversas rodadas com eliminações múltiplas de Raphael “exit” Lacerda, mas não foi o suficiente para se recuperar na rodada final. A Isurus venceu Mirage por 16-5 e empatou a série.

Reversive mostrou um temperamento nervoso nessa partida. Sempre que fazia a eliminação final da rodada, o argentino continuava disparando sobre o corpo dos oponentes.

O terceiro mapa, Dust 2, começou após uma nova pausa de alguns minutos. A primeira metade foi equilibrada e acabou em 9-6 para a Sharks. O brasileiro Jhonatan “jnt” Silva brilhou na AWP e foi decisivo.

Na segunda metade, quando a partida ficou 11-8 para a Sharks, o campeonato foi novamente pausado por problemas técnicos. O brasileiro Raphael “exit” Lacerda havia eliminado dois aliados durante aquela rodada. Logo após as eliminações, o técnico da Sharks e alguns jogadores protestaram contra os juízes da ESL no estúdio por um problema técnico no PC de exit. Após meia hora, o computador do jogador foi trocado e a partida seguiu normalmente.

A pausa, de novo, foi boa para a Sharks. Os brasileiros continuaram a dominar o resto da partida e venceram Dust 2 por 16-9. O quarto mapa, Train, poderia ser o definitivo para o bicampeonato dos brasileiros.

Mas nada começou bem. Após um rápido empate em 2-2, a Isurus venceu sete rodadas em sequência e marcou 9-2. Uma vitória da Sharks na rodada seguinte embalou os brasileiros, que venceram as rodadas restantes e diminuíram a vantagem para 9-6.

A Isurus manteve sua vantagem em grande parte da segunda metade, mas ela diminuiu até chegar ao 14-14 com um ace de leo_drunky.

A Sharks embalou na partida e venceu Train por 16-14 e conquistou o título de bicampeã da ESL LA League.

A Sharks poderá enfrentar os brasileiros da MIBR e os melhores do mundo da Astralis nas finais da Pro League em Odense, Dinamarca. O evento vai de 4 a 9 de dezembro.