Los Angeles Guerrillas protestam sobre a derrota para o Minnesota RØKKR

O LA divulgou um comunicado hoje, discordando do resultado de seu primeiro jogo da Call of Duty League.

Foto por Jordan Reed via EsportsNation

O Los Angeles Guerrillas protestaram contra o resultado de seu primeiro jogo da Call of Duty League contra o Minnesota RØKKR, anunciou a equipe hoje via Twitter. Durante a partida, LA perdeu um mapa devido ao uso de um item restrito. Eventualmente perdendo a série por 3-1.

Em um comunicado, os Guerrillas disseram que, apesar de “aceitarem que um jogador tenha inadvertidamente usado uma vantagem proibida, isso não afetou o resultado do jogo”.

A equipe também disse que os bônus de especialistas, que incluem benefícios banidos, foram permitidos por meio de um “voto de improviso no qual nenhum membro da equipe dos Guerrillas foi convidado”. LA diz que a liga estava “equivocada” sobre a participação de um representante da equipe.

Após o segundo mapa de sua série contra o Minnesota, um jogo que eles venceram por 6-3, os Guerrillas foram informados de que um de seus jogadores, Andres Lacefield, estava usando ilegalmente a habilidade Hardline. Como resultado, o RØKKR recebeu a vitória no segundo mapa, deixando 1-1. Minnesota venceu os dois mapas seguintes para encerrar a série.

O capitão dos Guerrillas, Patrick “ACHES” Price, twittou após a partida, dizendo que o que ocorreu com Lacefield foi resultado de um erro nas regras do CDL. Em um tweet separado, ACHES disse: “o fato de coisas assim acontecerem em uma liga de 300 milhões de dólares é uma loucura.”

Os Gurrillas disseram que continuarão participando de todas as atividades da liga, apesar do protesto.

A Dot Esports entrou em contato com a Call of Duty League para comentar.

Artigo publicado originalmente em inglês por Preston Byers no Dot Esports no dia 25 de janeiro.