New World é pagar para ganhar?

“Definitivamente, ouvimos o feedback dos jogadores e nosso foco é que não queremos que o New World seja uma experiência de pagar para ganhar", disse o diretor de criação, David Verfaillie.

Imagem via Amazon Games

A Amazon Games está ficando bem longe do modelo de pagar para ganhar com seu novo MMO de mundo aberto.

O New World inclui uma loja no jogo, mas não oferece melhorias de personagem ou qualquer coisa que influencie diretamente a jogabilidade.

O “foco” da loja, de acordo com o diretor de criação, David Verfaillie, são os itens cosméticos que os jogadores podem usar para “realçar” o visual de seus personagens. 

O jogo possui uma “enorme biblioteca” de diferentes armas e armaduras. Todas as atividades que os jogadores podem fazer no jogo, como Guerra, Entrepostos e Expedições, têm conjuntos “únicos” de armadura e visuais anexados a eles. Mas, além disso, existem “alguns” itens que os desenvolvedores planejam vender na loja que fornecerão visuais alternativos para os jogadores.

Os desenvolvedores ouviram feedback dos jogadores e estão cautelosos com a loja. “Definitivamente, ouvimos o feedback dos jogadores e nosso foco é que não queremos que o New World seja uma experiência de pagar para ganhar”, disse Verfaillie.

A “ênfase” da loja está nos cosméticos no lançamento, mas os desenvolvedores acreditam que há espaço para “melhorias na qualidade de vida” no futuro, que não vão entrar no “território de pagar para ganhar”.

“Estaremos ouvindo os jogadores e nos certificando de que os respeitamos. Vamos nos concentrar na experiência cosmética no lançamento”, explicou Verfaillie. “Acreditamos que é algo que os jogadores vão gostar e definitivamente não ultrapassa os limites. E então trabalharemos com nossa comunidade para decidir aonde podemos ir que todos considerem justo.” 

Os jogadores poderão eventualmente comprar coisas como armazenamento adicional com dinheiro do mundo real, de acordo com Verfaillie. Mas tudo o que está disponível na loja também pode ser obtido no jogo. 

“No jogo, existem maneiras de aumentar seu armazenamento. Mas há algumas pessoas que podem não ter tempo ou querer se comprometer com todas as formas do jogo”, disse Verfaillie. “Portanto, existem maneiras pelas quais as pessoas com menos tempo disponíveis podem acompanhar os jogadores em certos aspectos como esse.”

Em outras palavras, os desenvolvedores continuam explorando o “pagar por conveniência”, mas estão adotando uma abordagem mais delicada e ouvindo os comentários da comunidade. 

Em maio de 2021, o popular streamer e aficionado por MMO, Asmongold, abordou o tópico de pagar por conveniência, criticando a Amazon por seu modelo de microtransação inicial. Um post descrevendo a loja incluiu recursos como aumento de XP e de profissão.

“Para simplificar, pagar por conveniência cria um incentivo de lucro para tornar o jogo inconveniente”, disse Asmongold. “Isso cria um paradigma que incentiva os desenvolvedores a criar problemas no jogo para que possam vender as soluções para eles.”

“Este problema no caso do New World é especialmente flagrante considerando que o jogo ainda nem foi lançado. Por que você está considerando pagar por conveniência em um jogo que ainda nem está pronto? Por que não apenas torná-lo conveniente?”

A Amazon agora descartou totalmente os aumentos de XP e optou por uma loja mais refinada no jogo. Mas as mudanças nessa estratégia podem vir mais tarde. A Amazon não descartou o pagamento por conveniência no futuro.

O New World chegou aos servidores ativos em 28 de setembro de 2021. A edição padrão do jogo custa R$ 75,49.

Artigo publicado originalmente em inglês por Jerome Heath no Dot Esports no dia 28 de setembro.