Momo de Call of Duty League é demitido após alegações de má conduta sexual

Ele disse que seu contrato foi rescindido em 30 de junho.

2019-08-18 - CWL Champs 2019 / Photo: Robert Paul for MLG

A Activision Blizzard demitiu o apresentador da Call of Duty League Philip “Momo” Whitfield após uma investigação sobre várias alegações de má conduta sexual, anunciou o comentarista hoje. Whitfield disse que a Activision Blizzard rescindiu seu contrato em 30 de junho.

Whitfield disse que a Activision iniciou uma investigação depois que “mensagens antigas que ele enviou para mulheres da comunidade de jogos” foram mostradas à empresa. Ele disse que os detalhes das mensagens e seus destinatários não foram divulgados, então ele não pode responder a alegações específicas. Ele disse, no entanto, que as mensagens geralmente faziam com que os destinatários “se sentissem desconfortáveis”.

“Para ser franco, em minhas mensagens, eu estava ‘tentando a sorte’ com mulheres que não tinham chamado minha atenção, e eu estava sendo favorável quando não deveria”, disse Whitfield. “Algumas das trocas continham conteúdo sexual de ambos os lados. Na época, não acreditava que estivesse deixando os destinatários desconfortáveis. Se soubesse disso, não teria continuado conversando dessa maneira.”

Whitfield também pediu desculpas por sua “imaturidade” e por qualquer “conteúdo explícito ou linguagem gráfica” que ele tenha usado, entre outras coisas relacionadas às supostas mensagens.

Um membro da comunidade feminina, KerrBearXO revelou em 2 de julho que 12 mulheres a procuraram com várias alegações de má conduta sexual contra Whitfield. Ela disse que quatro foram entrevistadas pela Activision e que apresentaram “todas as provas, evidências e alegações, tudo o que podiam” à empresa. Todas as supostas vítimas optaram por permanecer anônimas.

Em um dos supostos incidentes, Whitfield enviou uma mensagem para uma mulher, que havia dito que “não gostava de estar tão bêbada com pessoas que não saibam onde eu moro”. Whitfield respondeu com “Haha” e “Droga, eu poderia ter me aproveitado de você.” Quando ela respondeu que era uma “bêbada responsável”, ele respondeu “Rufies”(Uma droga para estupro). KerrBearXO alega que a mulher na suposta mensagem conhecia Whitfield há dois dias quando teve essa troca de mensagens.

Durante a temporada inaugural da Call of Duty League, que começou em janeiro, Whitfield havia se unido a Miles Ross como um dos três pares de comentaristas da liga. Whitfield atuou anteriormente como comentarista das transmissões da Liga Mundial do Call of Duty nos anos anteriores.

Atualização em 4 de julho às 13h45: Emilia Rose, uma jogadora de Call of Dutytwittou que ela é uma das mulheres que apresentou as alegações contra Whitfield à Activision. Ela alega que Whitfield “basicamente disse” que ele queria fazer sexo com ela em 2013, quando ela tinha 15 e ele 21 anos. Ela também afirmou que outras mulheres dizem que tiveram experiências “muito piores” com Whitfield.

Artigo publicado originalmente em inglês por Preston Byers no Dot Esports no dia 04 de julho.