Method coloca CEO e co-fundador Sascha Steffens em licença não remunerada em meio a alegações de má conduta

A organização fará com que terceiros investiguem o incidente.

Imagem via Blizzard Entertainment

O CEO e co-fundador da organização de E-sports Method, Sascha Steffens, foi colocado em licença administrativa não remunerada pela organização após alegações de má conduta divulgadas.

Duas mulheres, Swebliss e AnnieFuchsia no Twitter, falaram sobre incidentes separados desde a BlizzCon 2015, alegando que Steffens fez avanços sexuais indesejados em relação a elas.

As acusações ocorreram em meio a uma onda de alegações semelhantes de mulheres nos E-sports nas últimas semanas, no que se tornou o momento “#MeToo” do setor, três anos após o movimento original abalar o setor de entretenimento.

Em resposta ao relato de Annie, Steffens divulgou um comunicado explicando seu lado da situação, mas também pedindo desculpas a Annie.

Swebliss respondeu à declaração de Annie com uma acusação de avanços sexuais injustificados. Steffens respondeu dizendo que “veementemente” nega as alegações.

Em resposta à primeira acusação, a Method não respondeu, mas o co-CEO e fundador, Scott “Sco” McMillan, respondeu no Twitter condenando as ações de seu colega.

Logo após a segunda acusação de Swebliss, no entanto, a organização anunciou que estava colocando Steffens em licença administrativa não remunerada, aguardando uma investigação de terceiros.

“Após alegações de má conduta, o co-CEO Sascha Steffens foi colocado em licença administrativa não remunerada enquanto aguardam os resultados de uma investigação de terceiros”, publicou a organização.

Esta notícia chega logo após a equipe se separar de um dos curadores da guilda, MethodJosh. Josh foi acusado por uma adolescente de solicitar fotos inapropriadas, entre outras formas de má conduta sexual.

Artigo publicado originalmente em inglês por Max Miceli no Dot Esports no dia 25 de junho.