Comparação entre o Steam Deck e o Nintendo Switch: será que a Nintendo está com problemas?

Entre esses dois dispositivos, o futuro dos jogos portáteis está em boas mãos.

Imagens via Nintendo / Valve

Em 15 de julho, a Valve chocou a comunidade de jogos com o anúncio surpresa de seu portátil para jogos, o Steam Deck, uma máquina de jogos compacta que visa permitir que os jogadores acessem títulos AAA para PC e suas bibliotecas inteiras da Steam por apenas uma fração do preço de um PC para jogos.

Para muitos, parecia bom demais para ser verdade. À medida que mais conteúdo prático surge com o dispositivo, no entanto, parece verdadeiro o suficiente para ser bom. Com poder superior, uma biblioteca de jogos mais ampla e a capacidade de navegação geral de computador, o Steam Deck parece pronto para assumir o controle do mercado de jogos portáteis, mesmo de empresas inovadoras e influentes, como a Nintendo.

Começando com o Game Boy em 1989, a Nintendo permaneceu relativamente intocada no mercado e consistentemente lançou produtos atualizados até o atual portátil líder da indústria, o Nintendo Switch. Mas será que um novo competidor emergindo no espaço de jogos portáteis pode abalar o controle que a Nintendo manteve sobre o espaço nas últimas duas décadas?

Os dois dispositivos possuem um design semelhante, com uma grande tela no centro de seus controles, gatilhos, tela sensível ao toque e recursos de dock. Mas como os dois se comparam? E a Nintendo deveria se preocupar com sua posição como líder em dispositivos portáteis para jogos à medida que o novo desafiante se aproxima?

Para responder a essas perguntas, analisaremos algumas das principais diferenças entre esses dois dispositivos para chegar a uma conclusão antecipada de se o Steam Deck pode impactar a participação de mercado da Nintendo quando for lançado em 2022.

Comparações do Steam Deck e do Nintendo Switch

Projeto

Imagem via Nintendo

Você notará várias semelhanças gritantes imediatamente ao ver os dois consoles híbridos lado a lado. O design de ambos os dispositivos visa fornecer o máximo possível de espaço na tela, mantendo-os portáteis e criando uma posição confortável para os controles caberem nas mãos dos usuários. 

O Nintendo Switch pode ter recebido recentemente uma pequena atualização com seu modelo OLED que será lançado em 8 de outubro, mas seu design geral permaneceu o mesmo. Com um conjunto destacável de Joy-Cons em ambos os lados, um suporte na parte de trás e sua tela no meio, o Switch atende tanto a quem joga sozinho quanto a quem deseja compartilhar facilmente a ação do jogo com amigos próximos. 

Imagem via Valve

O Steam Deck, por outro lado, parece mais voltado para atender um único jogador com suas alças mais grossas, touchpads em ambos os lados e gatilhos maiores e mais resistentes. 

Graças à porta USB-C na parte superior do console, os usuários podem conectar dispositivos externos, como controles. No entanto, não há relatórios sobre a eficácia de jogar o modo multijogador local no dispositivo até o momento.

Quando se trata de espaço na tela, o Steam Deck possui uma tela maior, de sete polegadas. Embora o Switch comum tenha uma tela menor de 6,2 polegadas, o Switch OLED tem o mesmo tamanho de tela do portátil da Valve, com sete polegadas.

O Steam Deck é o maior e mais robusto dos dois dispositivos, mas não oferece a acessibilidade multijogador que o Switch oferece assim que sai da caixa. Em vez disso, requer periféricos externos para corresponder a essa capacidade.

Especificações

Imagem via Valve

O Steam Deck é o maior dos dois consoles, e ao olhar para os componentes que ele abriga, não deveria ser uma surpresa o porquê.

Pesando mais do que o dobro do Nintendo Switch, este golias é equipado com um processador AMD APU Zen 2 personalizado, 16 GB de ram, opções entre 64, 256 e 512 GB de armazenamento SSD interno, uma tela de sete polegadas com resolução de 1280 × 800 e relatórios iniciais de entre duas e oito horas de vida útil da bateria.

O Switch possui uma forma menor e pesa substancialmente menos, tornando-o mais portátil. Ele tem um processador Tegra personalizado da Nvidia, 4GB de ram, 32GB de armazenamento interno, uma saída HDMI embutida no dock, uma tela 720p de 6,2 polegadas e uma duração média da bateria de até seis horas e meia.

Embora o Switch seja claramente superado quando se trata de especificações técnicas, ele também custa por volta de apenas R$ 2500, enquanto o Steam Deck custará entre $ 399 e $ 549 (sem preço em reais ainda) dependendo do tamanho do armazenamento. Os preços do Steam Deck ainda são bastante razoáveis ​​devido às suas capacidades.

Interface de usuário

Screengrab via Nintendo

Com o Nintendo Switch, você sabe exatamente o que está recebendo no que diz respeito à interface do usuário. Sua interface do usuário permaneceu praticamente inalterada desde o lançamento e provavelmente não verá mudanças até que um novo console tome seu lugar na linha de portáteis da Nintendo. Com um menu em estilo de bloco fácil de navegar, não deve haver problemas para pegar o dispositivo e começar sua aventura nos jogos.

Utilizar o Steam Deck é um pouco mais complicado. Embora execute uma versão baseada em Linux do SteamOS, já que é essencialmente um PC por conta própria, a Valve revelou que você poderia inicializar qualquer sistema operacional de sua escolha para otimizar a experiência do usuário de acordo com sua preferência. Isso é perfeito para entusiastas de tecnologia que desejam mergulhar e mexer com tudo o que o Steam Deck tem a oferecer. Para aqueles que procuram apenas alguns jogos, no entanto, o SteamOS oferece sua coleção de uma forma fácil de navegar, com a loja a apenas um clique de distância.

Comparar as interfaces do usuário para esses dois dispositivos é uma questão de preferência. Ambos são simples de usar e, embora a interface do usuário do Switch seja um pouco mais fácil de entender, há, sem dúvida, mais opções de personalização disponíveis no Steam Deck.

Performance

Imagem via Nintendo

É difícil chegar a uma conclusão clara sobre as capacidades de desempenho do Steam Deck, já que ele ainda não está disponível para os consumidores. Graças à filmagem de teste, no entanto, vimos isso em ação com alguns jogos, e, sem surpresa, ele tem um bom desempenho.

Embora possa ser limitado em suas capacidades devido à sua tela menor, o Steam Deck pode rodar muitos jogos a 60fps e 720p suaves com alguns ajustes de otimização. Veremos melhor os prós e os contras do dispositivo assim que estiver amplamente disponível. Por enquanto, porém, a perspectiva é positiva.

O Nintendo Switch tem um desempenho perfeito, pois só existe dentro do ecossistema da Nintendo. O Switch não terá dificuldade em executar muitos jogos porque os únicos títulos de portabilidade que fazem parte do console são aprovados e otimizados para ele. Dito isto, o Switch só pode suportar até 720p, 30fps no dispositivo portátil, com alguns títulos recebendo um aumento de 1080p ou 60fps quando acoplado.

Embora o Steam Deck inclua um modo de acoplamento, ele não oferece os mesmos impulsos que o Switch oferece. O desempenho do dispositivo portátil Valve é inquestionavelmente mais poderoso, no entanto.

Controle

Imagem via Valve

Ambos os dispositivos possuem controles integrados nas laterais do dispositivo. No caso do Switch, eles podem ser removidos para fazer um ou dois controlades para uso sem fio. Onde esses dois dispositivos brilham mais em termos de controle, no entanto, é através dos dispositivos externos que os jogadores podem conectar.

O Nintendo Switch possui uma ampla gama de controles diferentes, com ou sem fio, que podem ser usados ​​para jogar enquanto estão encaixados. Alguns dos melhores incluem a linha Pro Controller, que foi perfeitamente otimizada para o sistema, ou o Split Pad Pro de terceiros, que pode fornecer a experiência Joycon enquanto portátil.

Apesar da enorme variedade de acessórios do Switch, o Steam Deck o expande nesta categoria. Sendo um PC, ele pode usar praticamente qualquer teclado, mouse ou controle conectado por meio de sua porta USB-C ou sem fio por Bluetooth.

Jogos

Screengrab via The Pokémon Company

A categoria mais importante nesta comparação: os jogos. Se você está comprando um portátil pelos jogos, provavelmente deseja obter o máximo dele, e ambos os dispositivos fazem um trabalho excepcional nisso, com suas diferenças óbvias.

O Steam Deck da Valve pode acessar praticamente qualquer jogo que um PC normal pode, embora o armazenamento possa ser um problema nas versões de especificações inferiores. Mas isso não significa que todos funcionarão ou terão um bom desempenho no dispositivo. Os melhores jogos para jogar no dispositivo portátil serão aqueles disponíveis no mercado Steam da Valve. Como outras categorias nesta lista, no entanto, o usuário pode otimizar seu dispositivo para oferecer suporte a outros títulos.

Como é tradição, o Nintendo Switch só pode rodar jogos lançados pela Nintendo por meio de vendas físicas ou em seu mercado digital. Embora isso signifique nenhum jogo de terceiro, não há um grande problema nesse assunto. A Nintendo já possui uma enorme biblioteca de títulos, com um jogo para cada tipo de consumidor, e muitos dos maiores sucessos do console estão disponíveis exclusivamente no Nintendo Switch. Para muitas pessoas, esse será o fator decisivo para selecionar um dispositivo em vez de outro.

A Nintendo está com problemas?

A resposta curta é não. A Nintendo sempre teve competição e superou esses cenários. Não vamos esquecer as tentativas da Sony com o PSP e o PSP Vita, ambos consoles tecnicamente superiores, mas não conseguiram superar a biblioteca de amados exclusivos da Nintendo.

O Steam Deck da Valve se sai muito bem e provavelmente será o melhor dispositivo para a maioria dos jogadores hardcore. Esse é exatamente o seu objetivo. O público-alvo da Nintendo, que continua a consumindo por mais de 20 anos, não é a comunidade de jogos hardcore. Em vez disso, ela encontra um local para o público casual e familiar. O Steam Deck da Valve não é o dispositivo para esses tipos de jogadores, nem a Valve está vendendo para eles.

Com sua campanha, a Valve tem tentado posicionar o Steam Deck não apenas como o próximo grande portátil para jogos, mas também, para muitas pessoas, seu próximo PC, e a missão não colide com o nicho da Nintendo. Por esse motivo, os dois podem coexistir.

A única ressalva para isso é que a emulação pode potencialmente causar um grande problema para o Nintendo Switch se um emulador sólido for criado para o Steam Deck. A pirataria, no entanto, é um problema maior.

Artigo publicado originalmente em inglês por Ryan Galloway e Cale Michael no Dot Esports no dia 12 de setembro.