As mulheres mais ricas dos esports

É hora de treinar.

Foto via Blizzard Entertainment

Já se foram os tempos em que jogar profissionalmente, e jogar de modo geral, era uma atividade considerada “de homem”. Mulheres já vêm dominando a cena dos esports há um tempo, tanto em torneios mistos quanto nos exclusivos para as jogadoras. Qualquer que seja o seu jogo competitivo favorito, é provável que haja algumas jogadoras extremamente talentosas competindo a nível profissional.

Além disso, a audiência de eventos de esports vem crescendo, o que traz maior participação de marcas através de parcerias e premiações, aumentando também quanto se ganha em torneios e campeonatos e o dinheiro movimentado pela cena profissional. Equipes vencedoras de campeonatos podem levar para casa dezenas de milhares de dólares como premiação, além de parcerias e exposição para o público.

Confira as mulheres que mais ganham dinheiro na cena dos esports.

Sasha “Scarlett” Hostyn

Imagem via Liquipedia

Sasha Hostyn detém o recorde mundial, verificado pela Guinness, de carreira feminina mais lucrativa em um jogo digital competitivo. Segundo o site Esports Earnings, que foi a fonte usada pela Guinness para verificar o recorde, ela já ganhou um total de mais de R$2 milhões. O jogo principal de Hostyn é StarCraft II e ela é integrante da equipe canadense Shopify Rebellion. Ela já competiu em todo o mundo e seu Zerg não é um oponente fácil.

Xiaomeng “Liooon” Li

Imagem via Blizzard Entertainment

Xiaomeng Li fez seu nome ao se tornar a primeira mulher Campeã Global de Hearthstone em 2019 e a primeira mulher a receber um troféu na BlizzCon. A jogadora chinesa já ganhou mais de R$1 milhão em sua carreira nos esports. Após a vitória na BlizzCon, ela disse em entrevista: “Quero dizer a todas as garotas que sonham com os esports, com a competição, com a glória, que, se vocês quiserem e acreditarem em vocês mesmas, esqueçam o gênero de vocês e se joguem nisso.”

Katherine “Mystik” Gunn

Imagem via KatGunn.com

Antes de Sasha Hostyn se tornar a jogadora mais bem-paga, o título pertencia a Kat Gunn. Ela venceu a segunda temporada do WGC Ultimate Gamer, um reality show em que 12 jogadores se enfrentavam em vários jogos competitivos. Gunn também jogou Dead or Alive profissionalmente e trabalhou como cosplayer e criadora de conteúdo em vídeo para a Team Envy. Atualmente, ela é streamer em tempo integral na Twitch e já ganhou mais de R$500.000 com esports.

Rumay “Hafu” Wang

Imagem via Liquipedia

Rumay Wang é streamer em tempo integral e já jogou World of Warcraft e Hearthstone profissionalmente. Em 2020, a Forbes a incluiu na lista “30 Under 30 in Gaming”, de 30 grandes nomes dos games com menos de 30 anos. Ela também gosta de jogar VALORANT e Teamfight Tactics. Seus ganhos totais com esports já passaram dos R$400.000.

Nina “Nina” Qual

Nina Qual, que também atendia por puCK, é uma jogadora profissional de StarCraft II. Ela também já ganhou mais de R$400.000 como jogadora profissional, e hoje usa a plataforma que conquistou para falar publicamente sobre a vida como mulher trans nos esports. Qual participou de diversas competições norte-americanas e continua ativa na cena e no Twitter.

Artigo publicado originalmente em inglês por Emily Morrow no Dot Esports no dia 19 de abril.