Hiko: “VALORANT definitivamente mudou minha vida”

Depois de mais de uma década jogando Counter-Strike, Hiko seguiu em frente.

Foto via DreamHack

Na maioria dos esportes tradicionais, um jogador de 30 anos de idade pode muito bem estar no meio do seu auge. Nos esports, no entanto, muitos jogadores dessa idade, mesmo aqueles com inúmeros elogios, já se aposentaram.

Nos primeiros meses de 2020, Hiko, um veterano de Counter-Strike com 30 anos, parecia estar pronto para terminar sua carreira profissional. Desde que foi substituído na Rogue em 2019, ele jogou em apenas um punhado de eliminatórias enquanto assistia à sua carreira de streaming desaparecer também.

De 1º de janeiro a 6 de abril, Hiko obteve uma média de 789 espectadores e reduziu seu tempo diário de transmissão para cerca de quatro horas enquanto tirava três dias por semana, de acordo com o Twitch Tracker. Mas em 7 de abril, a versão beta fechada de VALORANT começou e também o ressurgimento de Hiko na Twitch. Nos quase dois meses em que o beta esteve no ar, Hiko obteve uma média de quase 8.000 espectadores e transmitiu todos os dias, com média de nove horas por dia.

Imagem via Twitch Tracker
Imagem via Twitch Tracker

Em uma entrevista à Dot Esports, Hiko disse que, sem VALORANT, ele não tem ideia do que estaria fazendo agora.

“Fiquei sem equipe no Counter-Strike por cerca de um ano e meio, e minha stream não estava sustentável, então estava pensando em tentar encontrar um emprego dentro da indústria ainda ou apenas esperar para veja o que aconteceria, disse Hiko. “Com certeza não parecia bom. Eu estava pensando em ser treinador, estava pensando em ser um apresentador ou um analista, então sim, VALORANT definitivamente mudou minha vida e eu definitivamente não estaria onde estou hoje sem um novo jogo.”

Além do sucesso de seu canal, que ultrapassou 10.000 inscritos em 11 de junho, Hiko continuará sua carreira profissional no FPS competindo em VALORANT pela 100 Thieves. Mas decidir competir não foi uma decisão rápida, de acordo com Hiko.

O nativo de Michigan considerou como seu streaming seria afetado por seguir uma carreira profissional, que provavelmente exigirá viagens e horas de prática fora de streams. Vários jogadores talentosos, incluindo o ex-companheiro de equipe de Hiko, Shroud, desistiram de carreiras profissionais promissoras para se voltar ao streaming em tempo integral. Mas Hiko simplesmente não podia fazer isso.

“Com a rapidez com que o minha stream explodiu, mesmo antes de me juntar ao 100 Thieves, foi definitivamente um pensamento em minha mente: ‘Por que me preocupar em me tornar profissional? Eu poderia muito bem ser um streamer’”, disse Hiko. “Mas, no final das contas, o que me motiva como pessoa é a competição. Uma vez que você tenha gostado de ser o melhor da sua região ou de estar em um time de ponta, sinto que o streaming não satisfaz a fome que tenho, esse desejo de jogar profissionalmente e, esperançosamente, ganhar campeonatos.”

Para Hiko, competir se tornou parte dele. Ao longo de sua carreira de quase uma década no CS, ele viajou pelo mundo na esperança de ganhar títulos. E seja em CS:GO ou VALORANT, o objetivo de Hiko permanece o mesmo.

“Eu disse quando assinei com a 100 Thieves, meu objetivo é vencer. Meu objetivo é ganhar campeonatos”, disse Hiko. “Minha prioridade número um na vida é formar uma equipe com potencial e vontade de vencer.”

Artigo publicado originalmente em inglês por Preston Byers no Dot Esports no dia 18 de junho.