Riot Games doará US$ 1 milhão, vendas do passe de batalha da próxima semana para esforços humanitários na Ucrânia

A nova linha de skins Abelinhas de League of Legends também está incluída.

Imagem via Riot Games

A Riot Games respondeu ao chamado de sua enorme base de jogadores para ajudar nos esforços de ajuda humanitária na atual crise na Ucrânia, de acordo com um post da empresa hoje.

A Riot está doando US$ 1 milhão para três diferentes organizações humanitárias sem fins lucrativos que fornecem ajuda humanitária direta às pessoas na Ucrânia: o Corpo Médico Internacional, os Médicos Sem Fronteiras e a Cruz Vermelha Polonesa.

Além disso, a Riot também está lançando “angariações de fundos no jogo” em todo o seu catálogo de jogos. Todas as receitas das vendas do passe de batalha compradas de 5 a 12 de março em VALORANT, Legends of RuneterraTeamfight Tactics e Wild Rift, assim como toda a receita da nova linha de skins Abelinhas introduzida em League of Legends, irão para as três organizações sem fins lucrativos.

A invasão da Ucrânia afetou grande parte do mundo, e esse impacto também se estendeu aos esports. A organização ucraniana de esports Natus Vincere publicou apenas sobre o conflito desde que começou em 24 de fevereiro, fornecendo várias atualizações e vários links de doação. Também cortou laços com a empresa russa ESforce Holding (proprietária do Virtus.pro e outras organizações) por sua negação pública do que está acontecendo na Ucrânia.

Os organizadores do torneio também se envolveram. O BLAST proibiu completamente as organizações russas de competir em seus torneios, e a ESL só permitirá que os jogadores compitam se o fizerem sob um nome neutro, livre de afiliação com organizações e patrocinadores russos.

A própria Riot adiou as partidas do EMEA VALORANT Champions Tour devido à crise em andamento, com equipes da região da CEI, incluindo Na’Vi, Gambit e FunPlus Phoenix, ainda para retomar o jogo.

Artigo publicado originalmente em inglês por Scott Robertson no Dot Esports no dia 05 de março.