Voyboy chama atenção da Riot por não tomar providências em relação à toxicidade no LoL

O problema da toxicidade tem sido deixado de lado, estragando a experiência de League of Legends para muitos.

Foto via Riot Games

A toxicidade no ambiente das ranqueadas de League of Legends tem ficado cada vez pior. O streamer e ex-jogador profissional Voyboy até cobrou a Riot Games nesta semana por não tomar providências para resolver os problemas. De acordo com ele, o cenário está no pior estado em que já esteve em termos de atitude dos jogadores.

Voyboy explicou que muitos jogadores não têm medo de ser tóxicos porque a Riot não leva a sério a necessidade de punir aqueles que morrem de propósito ou abusam verbalmente de seus companheiros de equipe. Quase toda pessoa que já jogou LoL tem mais de uma experiência com a toxicidade e é provável que a pessoa que foi tóxica não tenha sido banida.

“Nem adianta denunciar ninguém porque a Riot não vai banir”, disse Voyboy. “Ninguém tem medo de ter problemas, ninguém tem medo de ser banido das ranqueadas. A Riot deixou bem claro, através de seu silêncio sobre os crescentes problemas que os jogadores vêm enfrentando, que não se importa. Se a Riot se importasse, já teria feito algo a essa altura.”

O streamer também mencionou que, a não ser que você digite alguma palavra ofensiva que seja detectada pelos filtros automáticos do bate-papo, provavelmente você não vai enfrentar as consequências dos seus atos. Isso é difícil para jogadores de Elo mais alto, porque acabam caindo com as mesmas pessoas e enfrentando a mesma toxicidade.

Jogadores de todos os níveis do LoL já passam por isso há muito tempo, o que afeta a reputação do jogo. Diversos profissionais e personalidades também concordaram com as declarações de Voyboy, incluindo o atirador DoubleliftDanny “Shiphtur” Le e HotshotGG, fundador da CLG.

“Tentei e tentei de várias formas fazer com que a Riot trouxesse alguma mudança nos últimos oito anos”, disse HotshotGG. “A Riot não fez nenhum esforço porque não quis ou porque não é capaz. O espírito esportivo está morrendo um pouco mais a cada dia e parece que o que é recompensado é um jogo monótono e apelativo.”

Se esse vídeo chegar aos interessados, pode fazer diferença. Nathan “Blaustoise” Blau, pesquisador da Riot, disse que estavam “compartilhando e discutindo o vídeo, e outros sobre os mesmos temas, internamente”. Talvez seja preciso um dos streamers mais positivos de League of Legends se pronunciar para que atitudes sejam tomadas em relação à toxicidade.

Artigo publicado originalmente em inglês por Tyler Esguerra no Dot Esports no dia 05 de maio.