Riot tem planos para tornar a selva na mais acessível e popular no LoL

Apesar de ser um papel poderoso com muita influência, os jogadores não estão se juntando a ele.

Imagem via Riot Games.

Parece que a posição da selva de League of Legends precisa de mais amor.

O diretor de design de jogabilidade, Mark “Scruffy” Yetter, discutiu o equilíbrio posicional no blog de desenvolvimento de hoje, explicando que a selva está no “radar do futuro” da Riot. Embora nenhum detalhe da atualização futura tenha sido delineado, a Riot se concentrará em torná-lo mais atraente para todos os jogadores.

“É uma das posições mais influentes / poderosas, mas também de baixa popularidade, o que significa que há um problema de satisfação ou acessibilidade que impede que seja atraente, apesar de ser poderosa”, disse Scruffy.

A complexidade da posição ainda consegue ostracizar os jogadores. Caçadores são responsáveis ​​por proteger os objetivos, ajudar seus companheiros das rotas, acumular recurso da selva e vigiar o caçador adversário. Enquanto um bom caçador pode controlar eficazmente as marés de um jogo, um inexperiente pode se afogar na responsabilidade.

Embora a Riot tenha tomado algumas medidas para tornar o papel mais amigável para iniciantes, como cronômetros de acampamento no minimapa e aumentando as opções de caminhos viáveis, Scruffy admite que não eram “soluções abrangentes”. O desenvolvedor afirma que o novo item inicial da selva, que permite que você comece imediatamente sua build, foi bem-sucedido tanto para novatos quanto para veteranos. Portanto, os jogadores provavelmente podem esperar ajustes que irão “melhorar o apelo do papel sem prejudicar a habilidade central e a flexibilidade que os caçadores atuais amam”, de acordo com Scruffy.

A Riot já abordou os papéis de atirador e suporte, que estavam com dificuldade após a revisão do sistema de itens da pré-temporada. Ajustando uma série de campeões e itens, Scruffy diz que eles “se recuperaram para pontos apropriadamente poderosos”.


Siga-nos no  YouTube  para mais notícias e análises de e-sports.

Artigo publicado originalmente em inglês por Andreas Stavropoulos no Dot Esports no dia 29 de janeiro.