Riot parece ter censurado “Hong Kong” em transmissões do Mundial 2019

Será que a Riot estaria tentando impedir polêmicas?

Foto via Riot Games

Parece que a Riot Games censurou o uso do nome “Hong Kong” na stream da Fase de Entrada do Campeonato Mundial de League of Legends.

Uma publicação de ontem no Reddit compilou os momentos que fizeram os fãs especularem que a Riot estaria censurando o uso de “Hong Kong”. A evidência principal era que diversos apresentadores se corrigiam ao falar do time Hong Kong Attitude. Quando um deles começava a dizer “Hong Kong”, mudava rapidamente para “HKA”. Duas das vezes citadas aconteceram na análise dos resultados finais da fase de entrada e durante uma conversa entre os apresentadores. O trecho abaixo é um terceiro exemplo.

Fora esses trechos, os apresentadores disseram “Hong Kong” algumas vezes sem mudar a expressão durante as streams da fase de entrada. Mas as suspeitas dos fãs não vão sumir tão facilmente, levando em consideração que diversos apresentadores tiveram problemas com a expressão, o que sugere que a Riot disse para que eles não a usassem.

Além disso, os espectadores percebram um atraso durante a série entre Hong Kong Attitude e Isurus Gaming ontem. Depois da vitória da HKA, esperava-se que passasse uma entrevista, mas ela só passou bem mais tarde na stream. O atraso confundiu a audiência, e diversos usuários questionaram quando ela aconteceria em um tópico no Reddit.

“Eles não vão fazer ao vivo para que possam simplesmente descartar a entrevista se não gostarem do que a Hong Kong Attitude tiver a dizer”, sugeriu um usuário. Assim que a entrevista foi ao ar, muitos fãs debateram se era ao vivo ou se tinha sido pré-gravada para impedir que a HKA falasse sobre os protestos em Hong Kong. 

Tudo isso pode ser só coincidência, mas a Riot tem motivos para querer censurar a transmissão. A empresa chinesa Tencent é dona da Riot. Com os protestos que estão acontecendo em Hong Kong, qualquer palavra que possa demonstrar apoio a Hong Kong pode ser vista como uma ameaça ao regime chinês.

Há apenas alguns dias, um jogador de Hearthstone se pronunciou em apoio ao movimento em Hong Kong. A Blizzard, tentando impedir ataques de seus fãs chineses, repreendeu o jogador ontem. A Riot pode estar querendo evitar qualquer polêmica parecida, já usando de censura para se prevenir.

Além disso, fora da indústria dos jogos, a Tencent já ameaçou tomar medidas contra a NBA por comentários em apoio a Hong Kong. A Tencent “suspenderia a transmissão de dois jogos da pré-temporada da NBA na China”, de acordo com a CNN. Considerando que é essa a empresa-mãe da Riot, há motivos imediatos para a Riot se preocupar. Se as streams fossem cortadas na China, a Riot perderia milhares, se não milhões, em renda, o que poderia levar também a diversas demissões.

De fato, a Riot não vai responder às alegações da comunidade em um futuro próximo. Mas os espectadores do LoL perceberam as atividades suspeitas da Riot na stream.

Artigo publicado originalmente por Elena Endres em inglês no Dot Esports no dia 09 de outubro.