Riot discute a importância da clareza em League of Legends

A Riot também falou de futuras atualizações visuais para habilidades de certos campeões.

Imagem via Riot Games

A Riot Games detalhou a importância das nuances da clareza em League of Legends em uma nova postagem do blog do desenvolvedor hoje cedo. A Riot mencionou como a criação de uma experiência de jogo fácil de reconhecer para os jogadores do LoL é uma alta prioridade para os desenvolvedores do jogo. 

“Os efeitos visuais e sonoros do LoL devem ajudar as pessoas a identificar e reagir a Campeões, habilidades e ataques”, disse a Riot. “Além disso, ver as mecânicas em ação deve ser o bastante para entendê-las.”

A Riot também discutiu o conceito de “hierarquia”, um termo que, sobre LoL, foca na importância de manter as habilidades mais impactantes no topo da lista de prioridades. As habilidades que definem o jogo devem ser facilmente reconhecíveis a olho nu, uma vez que são lançadas. 

Quanto mais dano uma habilidade causa ou mais impacto ela tem em uma luta de equipe ou duelo em relação ao controle de grupo, por exemplo, mais estimulante visualmente a animação da habilidade precisa ser. Habilidades como Massacre das Sombras (R) de Hecarim e Esfolar de Thresh (E) são habilidades icônicas e essenciais dos respectivos kits dos campeões, então a Riot detalhou planos para atualizá-los junto com alguns outros ao longo de 2021. 

Imagem via Riot Games

“É um aspecto que pode causar frustração facilmente, ainda mais quando as caixas de colisão não condizem com os efeitos”, disse a Riot. “Nos últimos anos, alguns dos Campeões mais antigos do LoL ganharam efeitos visuais novos, pois estavam deixando a desejar.”

Um último ponto que a Riot expôs neste recente post foi como os próprios campeões devem ser reconhecíveis, mesmo além de suas habilidades. A melhor maneira de saber se um campeão tem uma aparência icônica é simplesmente mostrar apenas suas silhuetas.

Uma campeã como Diana, por exemplo, com sua icônica foice em forma de lua crescente, ou Senna com sua arma monstruosamente grande, são relativamente fáceis de distinguir em uma programação quando convertidas em uma silhueta.

Screengrab via Riot Games

Mas, por outro lado, um campeão como Lee Sin, que não tem nenhum tipo de característica demonstrativa em seu modelo, é feito para parecer reconhecível com suas animações. Ivern e sua caminhada “cômica”, como a Riot descreveu, também fornecem um bom exemplo dessa ideia.

Por fim, a Riot detalhou como todos esses recursos atuam no processo de desenvolvimento de skin. No final do dia, as maiores prioridades dos desenvolvedores são que os campeões e suas habilidades permaneçam claros e equilibrados sempre que um jogador usar uma skin. 

“Cada habilidade deve ser, no mínimo, tão clara quanto é na versão base, pois as skins não devem fornecer vantagem competitiva.”, disse a Riot.


Certifique-se de nos seguir no  YouTube  para mais notícias e análises sobre esportes.

Artigo publicado originalmente em inglês por Michael Kelly no Dot Esports no dia 12 de março.