O crepúsculo de um ícone: como o Mundial 2021 poderia ser o final perfeito para a incrível saga de Faker

A dança final para o maior que já apareceu.

Foto via Riot Games

Ao longo dos últimos 10 anos, muitas estrelas surgiram e desapareceram no cenário competitivo de League of Legends. Jogadores que se tornaram partes amadas da história do jogo, mas apenas algumas pessoas podem dizer que transcenderam, sendo mais do que simplesmente um nome nos anais dos maiores e-sports do mundo.

Se você é uma pessoa que já se envolveu com videogames profissionais, pelo menos já ouviu falar do nome Faker. Você pode não saber em qual time ele joga ou mesmo o jogo em que compete, mas provavelmente já ouviu seu nome ser mencionado em algum lugar, e por um bom motivo. Ele é, indiscutivelmente, o maior de todos os tempos. E como o rosto dos maiores e-sports do mundo, ele conquistou esse nível de reconhecimento em muitas cenas adjacentes nesta indústria em crescimento.

É difícil imaginar o jogo sem Faker, mas o jovem de 25 anos está fechando o oitavo ano de sua carreira como estrela. Ele é o jogador mais condecorado da história do LoL, com três Campeonatos Mundiais, dois troféus MSI e oito campeonatos LCK em seu currículo, além do mais longo mandato contínuo de qualquer jogador em uma única equipe.

Um ícone como Faker também deve ter seu final de livro, como Michael Jordan terminou com o Chicago Bulls com outro campeonato da NBA em 1998, ou quando Kobe Bryant se aposentou do basquete com um desempenho lendário de 60 pontos no Staples Center. Mas as cartas parecem contra a T1 no Mundial deste ano, então como eles poderiam esperar levar a copa para casa?

Em busca de estabilidade

Foto via LCK Flickr

Ao longo de 2021, a T1 teve dificuldades para encontrar os jogadores definitivos em que trabalhar. Desde o início do ano, os treinadores, Yang “Daeny” Dae-in e Lee “Zefa” Jae-min, começaram seu trabalho exploratório experimentando várias iterações diferentes da equipe, incluindo aquelas em que Faker nem estava no Summoner’s Rift.

De jovens candidatos a veteranos experientes, a T1 tinha uma infinidade de opções disponíveis, mas a falta de estabilidade tornava alguns resultados imprevisíveis. Sem a capacidade de fechar com uma unidade definitiva, os campeões lutaram para manter o sucesso consistente. Eles se viram do lado perdedor contra várias equipes de nível inferior, como a Fredit Brion e a Afreeca Freecs, e não foram capazes de reunir sequências de vitórias significativas em nenhuma das temporadas.

Depois de terminar os dois splits em quarto lugar, no entanto, finalmente decidiram os cinco jogadores que seriam o elenco principal dali em diante.

Manter essa estabilidade torna muito mais fácil planejar estratégias, tanto do ponto de vista dos treinadores quanto dos jogadores, já que eles não precisarão treinar toda uma infinidade de estratégias para as diferentes escalações que poderiam ser usadas. Em vez disso, eles agora podem se concentrar nos detalhes e começar a se concentrar em confrontos e oponentes específicos, em vez de ter que lidar com suas próprias situações internas.

A experiência

Foto via LCK Flickr

Há uma clara fraqueza nesta equipe da T1, e é com aquele jovem e inexperiente da rota topo. Tanto o Canna do topo quanto o caçador Oner acabaram de começar suas jornadas nos e-sports do LoL; o primeiro ingressou na equipe em 2019 como trainee e o último ingressou no ano passado por meio do programa Academy da T1.

Eles nunca enfrentaram uma competição internacional antes. Este será um verdadeiro teste de força e perseverança para esses recém-chegados ao Mundial e deve ser um grande desafio para o resto do time e sua comissão técnica, enquanto enfrentam alguns dos jogadores mais perigosos nessas funções.

Por causa disso, o trio de estrelas experientes da T1 precisará se manter firme e liderar o time à vitória. Teddy e Keria provaram ser uma das melhores duplas da rota inferior do mundo. O primeiro ganhou três campeonatos da LCK, com uma aparição no MSI e no Mundial em 2019, enquanto o último também foi para o Mundial, participou de duas Copas KeSPA e foi finalista de verão da LCK em 2020.

Keria também foi o segundo melhor suporte de visão durante o 2021 LCK Summer Split, além de ter o terceiro maior AMA em sua função, de acordo com o Oracle’s Elixir. Esses dois devem ser capazes de enfrentar as primeiras duplas do mundial e devem ser um par emocionante de assistir, mas o verdadeiro holofote ainda permanece no Rei Demônio.

Reflita sobre a pergunta: “E se?”

Se a T1 não vencer o torneio, Faker provavelmente não se retirará do jogo devido à sua natureza competitiva. Mas se houvesse um final de livro a ser escrito, ele precisaria segurar a caneta com todas as forças para gravar seu nome uma última vez.

Ele pode não ser a divindade mecânica intocável que já foi, mas sua habilidade ainda está bem acima do limite quando se trata de expectativas da rota meio. O maior impacto que ele terá são seus nervos gelados sob as pressões do jogo internacional e suas habilidades de liderança nesta equipe relativamente jovem. Eles inevitavelmente olharão para seu destemido pioneiro, talvez em busca de força e solidariedade, e ele precisará ser o mais constante possível para eles.

Já se passaram cinco anos desde que vimos Faker ganhar Mundiais, e parece ter sido tempo suficiente para as pessoas deixarem o império indomável da T1 e seus anos de domínio. Fãs e analistas já começaram a discutir qual time construirá a próxima grande dinastia, e qual jogador assumirá o manto de próximo melhor de todos os tempos do LoL.

Mas o melhor que já jogou ainda está aqui, e ele ainda está faminto por seu quarto Campeonato Mundial. Em uma época em que ele e a T1 foram considerados após nomes como a DWG KIA, a FunPlus Phoenix e a EDward Gaming, levantar a Summoner’s Cup uma última vez acima de sua cabeça poderia ser o final perfeito e provavelmente se tornaria o Mundial mais memorável da história. Simplesmente faria sentido para Faker ter um final histórico como um adeus ao lugar e ao jogo que ele chamou de lar.

Veja toda a ação quando a T1 entrar no palco Mundial, em 11 de outubro.


Certifique-se de nos seguir no  YouTube  para mais notícias e análises sobre esportes.

Artigo publicado originalmente em inglês por Tyler Esguerra no Dot Esports no dia 08 de outubro.