“As pessoas nunca jogam nada que não tenha sido lançado recentemente” diz Rekkles sobre balanceamento em League.

Ele não é um fã de novos personagens serem mais fortes que os anteriores.

Foto via Riot Games

Os lançamentos de Aphelios e Senna criaram um alvoroço na comunidade de League of Legends por seu poder superior ao de campeões antigos. Quer se trate de clareza visual ou apenas sobre estar completamente quebrado, os dois atiradores reinaram sobre a cena profissional de League e receberam uma infinidade de enfraquecimentos.

Mas o problema é mais em baixo, segundo Martin “Rekkles” Larsson, da Fnatic. O atirador superestrela teve algumas palavras sobre os novos lançamentos e falou sobre suas preocupações com o futuro do jogo.

Rekkles usou Kai’Sa e Xayah como exemplos, dizendo que “elas eram duas vezes melhores do que todos os outros atiradores no jogo e agora nem são jogadas… apenas porque lançaram os novos campeões”.

Relacionado: Senna e Aphelios foram escolhidos ou banidos em todas as partidas da primeira semana de 2020 LCS Spring Split, exceto uma

Senna e Aphelios têm 85% de escolha e banimento ou acima no LCS e no LEC. A Kai’Sa, por outro lado, não foi selecionada nas últimas duas semanas de competição. A sinergia de Xayah com Rakan a viu sofrer menos que Kai’Sa, caindo para 35% no LCS e 55% no LEC.

Rekkles disse que “não tem muita certeza do que é a teoria [da Riot]”, já que o imenso poder sobre campeões anteriores dos novos lançamentos significa que “as pessoas nunca jogam algo que não tenha sido lançado recentemente”. O atirador também acrescentou que é “uma vergonha” devido à grande diversidade de 148 campeões em League.

A Riot continuou a liberar e reformular os campeões em um ritmo alucinante. Campeões como Akali e Qiyana saltaram para o topo da lista de níveis de seus respectivos papéis, tornando os personagens mais antigos de sua categoria ineficazes.

Rekkles também acrescentou um comentário atrevido mencionando que ele não tem “200 anos de experiência”, uma indireta ao Nathan “Lutzburg” Lutz, da Riot, sobre o retrabalho de Wukong em 9 de janeiro. As palavras de Lutzburg incitaram a comunidade a respeito do balanceamento dos campeões, enquanto produziam memes e vídeos divertidos sobre o assunto.

Com a Riot admitindo que “é impossível ter todos os 148 campeões balanceados em todos os níveis de jogo“, talvez ainda deva haver um limite quanto à força dos novos campeões. Afinal, provavelmente é hora de assistir quando um jogador como Rekkles está atirando.

Artigo publicado originalmente em inglês por Dexter Tan Guan Hao no Dot Esports no dia 03 de fevereiro.