As mudanças ao Summoner’s Rift e aos dragões na temporada 10 do LoL só vão confundir mais os times profissionais

Entender quais dragões pegar e quando será um grande desafio para os profissionais em 2020.

Imagem via Riot Games

O bônus do Dragão Ancião é um dos mais fortes de League of Legends. O time que conseguir eliminar esse objetivo deve ter tudo que precisa para eliminar também a base inimiga.

Mas cada vez mais, tanto nas ranqueadas solo quanto no competitivo, os times não estão conseguindo terminar o jogo com o bônus do Dragão Ancião. Talvez eles levem um inibidor ou uma torre do nexus. Mas, por motivos desconhecidos, simplesmente não conseguem levar o Nexus inimigo, e o time inimigo sobrevive. Mesmo no Mundial 2019, vimos vários times se defendendo do bônus Ancião como se não fosse nada.

A resposta da Riot para isso, revelada na comemoração do aniversário de 10 anos do LoL, é uma série de mudanças ao Summoner’s Rift. Pela primeira vez em anos, o mapa em si vai evoluir para deixar as coisas mais interessantes, e os novos dragões são parte disso.

O problema é que isso vai confundir mais ainda os times que já nem conseguem saber quais são os melhores dragões e os objetivos a priorizar.

Um bom começo

Imagem via Riot Games

A mudança menos animadora do mapa parece ser as novas entradas nas rotas superior e inferior. Basicamente, elas trazem mais espaço às rotas e têm o potencial de trazer muita diversão, especialmente nos níveis profissionais.

Jogadores profissionais da selva sabem quando e como aparecer em uma das rotas, usando os arbustos em seu favor. Muitas vezes, eles esperam pacientemente por uma jogada que sabem que vá funcionar. As entradas só trazem a eles mais possibilidades de onde esperar.

Mas a melhor parte dessas mudanças vai de fato afetar como os jogadores das rotas jogam na fase inicial. Na rota inferior, os suportes terão mais lugares para começar a luta, o que torna o posicionamento mais interessante. Na rota do topo, a entrada faz pensar mais no gerenciamento das tropas e em como se movimentar no mapa.

Essas rotas do LoL atingiram um ponto razoavelmente estável. Diferentemente da rota do meio, que tem inúmeros pontos de entrada, elas podem ficar um pouco sem graça depois de ter os mesmos padrões por anos. As entradas são um tempero diferente para essas rotas. E pode ser o primeiro passo de outras mudanças futuras.

E ficamos confusos outra vez

Imagem via Riot Games

A outra grande mudança é como os dragões elementais interagem com o mapa. Em vez de só conceder atributos, os dragões vão poder criar paredes, destruir arbustos e até fazer mais plantas crescerem.

As mudanças são interessantes e deve ser divertido jogar com elas. Mas elas também levam a um ambiente profissional mais caótico, em que o fator aleatório tem impacto maior nos resultados.

O motivo é simples: os times profissionais não sabem decidir quais dragões são melhores. Quando os dragões elementais entraram em jogo, mais de três anos atrás, muitos times acharam que o dragão Infernal, que dá um bônus de combate, era o mais poderoso. Isso mudou aos poucos para o dragão do Oceano devido ao bônus de regeneração. Agora, o das Nuvens é o melhor dragão no início do jogo.

Mas é mais que apenas entender quais dragões são melhores. Os times não sabem identificar que dragões são bons para sua composição e quais os inimigos adorariam pegar. Um erro comum no Mundial era o time pegar o dragão que melhorava as condições do oponente.

Não é culpa do dragão. Isso volta àquela dificuldade básica de identificar condições de vitória antes e durante o jogo. Mas adicionar mais bônus que alteram o mapa vai fazer com que essas decisões sejam ainda mais difíceis. Isso deve fazer alguns times irem atrás de dragões que não deveriam, ou o contrário. Isso, por sua vez, vai levar a resultados mais aleatórios até nos níveis mais altos de jogo.

Há um lado bom, porém: o novo Dragão Ancião mudou 100%. Então, em vez de os times ficarem hesitantes com o bônus, com medo até de chegar a uma torre inimiga, vamos vê-los se destruindo até de longe.

Os jogos podem ficar mais aleatórios em 2020, mas devem também ficar mais rápidos.

Artigo publicado originalmente em inglês por Xing Li no Dot Esports no dia 04 de novembro.