Aphelios: Um problema de kit ou de jogador?

Aqui estão os principais problemas do atirador de 200 anos de experiência.

Imagem via Riot Games

Aphelios, o campeão atirador mais popular, distorceu o meta de League of Legends e frustrou adversários com sua força desde o seu lançamento.

O atirador se tornou uma questão importante tanto na fila solo quanto no competitivo após seu lançamento em dezembro de 2019 e popularizou o meme de “200 anos”, que se originou da resposta do designer do campeão da Riot Games, Nathan “Lutzburg” Lutz a um jogador de Wukong. 

Aphelios continua a ter uma alta presença tanto na fila solo quanto no jogo profissional. Ele teve uma presença de 93,6% durante o LCS Spring Split com uma taxa de vitória de 66%, bem como uma presença de 95,6% durante o LEC Spring Split com uma taxa de vitória de 50%. 

Embora existam alguns enfraquecimentos planejados no APT para a Atualização 10.15 do LoL, não está claro se o manterá sob controle e o impedirá de ser um campeão presente em quase todos os jogos profissionais ou da fila solo.

O Invoker do LoL

Quando Aphelios foi revelado pela Riot, o interesse da comunidade foi a milhão. Como um campeão como Invoker do Dota 2 se traduziria no LoL?

No Dota 2, Invoker é um mago que não possui habilidades básicas, mas pode combinar elementos para criar certas habilidades, permitindo uma exibição clara de habilidades mecânicas, especialmente em situações terríveis ou tensas.

Em teoria, adicionar essa mecânica ao jogo parecia ótimo. Mas quando o campeão foi lançado no APT e as pessoas começaram a testá-lo, todos perceberam que a expressão esperada de habilidade do campeão simplesmente não estava lá.

Aphelios foi revelado com cinco armas que podiam ser trocadas e controladas, colocando uma delas como secundária. A única coisa que os jogadores precisavam gerenciar era o número de balas restantes a serem preparadas para uma luta em equipe com a arma mais adequada. Enquanto o vídeo do trailer mostrava uma situação com várias armas, todos se perguntavam quais seriam as diferenças entre as armas. Aphelios eliminou o time inimigo com todas as combinações de armas no trailer, mostrando o quão insanamente forte ele era, independentemente da escolha de armas antes de uma luta em equipe. Seus inimigos eram de mesmo nível e equipamentos e ainda assim caíam como moscas para as habilidades de Aphelios.

Kit problemático

Geralmente, os campeões têm algum tipo de fraqueza embutida em seu kit para permitir o contra-jogo. Aphelios tem acesso a uma infinidade de efeitos, como longo alcance, lentidão, enraizamento, roubo de vida, dano alto corpo a corpo e muito mais. Embora cada uma de suas armas pareça única, todos esses efeitos tornaram o campeão muito bom em tudo.

Seu poder durante a fase de rotas com sua arma de roubo de vida e de longo alcance precisou de vários enfraquecimentos antes de chegar em um estado aceitável. Durante o meio do jogo, ele abatia times inteiros com um único ultimate, devido à força da combinação da Infernum e do Vigília do Plenilúnio.

Ele claramente pulou a fila para ter uma fraqueza aparente. E mesmo que ele não tenha muitas opções de mobilidade, isso não pode ser considerado uma fraqueza se ele acaba com quem chega perto dele. Esse poder foi demonstrado pelo atirador Nihat “Innaxe” Aliev da Schalke 04 durante o LEC Summer Split, quando o jogador conseguiu dois abates em uma luta contra quatro e escapou com uma barra de vida cheia, apesar de ter quase morrido.

Enfraquecimentos constantes desde seu lançamento

A Riot liberou Aphelios com muito poder e teve alguns problemas de clareza, que dispararam sua taxa de vitórias para mais de 55% por um longo período de tempo. Enquanto os desenvolvedores trataram do assunto na atualização seguinte, ele dominou campeões que tentaram tirá-lo do trono na rota inferior.

Como resultado, ele continuou sendo enfraquecido, uma parte de seu kit por vez. O único aspecto que não foi tocado foi a arma Gravitum, que já era inferior a outras opções. Isso não significa que não seja forte, já que os jogadores aprenderam como usá-lo efetivamente para escapar de situações difíceis com seu enraizamento em área.

Os campeões costumam alcançar um estado balanceado depois de alguns enfraquecimentos, mas Aphelios não teve o mesmo destino. Ele ainda está sendo contestado como uma escolha prioritária, mesmo depois de nove enfraquecimentos, o que deveria tê-lo colocado no chão. O fato de a Dança da Morte ter sido atualizada para ser viável como um item de atirador também não ajudou a situação. Aphelios tornou-se ainda mais forte com a nova Dança da Morte, mais uma vez após seus múltiplos enfraquecimentos.

Se a Dança da Morte não tivesse sido atualizada, provavelmente não teríamos Aphelios dominando tanto o meta. Mas o efeito curativo da Dança da Morte atualizada foi tão eficiente nos atiradores que eles instantaneamente se tornaram muito mais fortes. Antes da Dança da Morte atualizada, os atiradores podiam ser explodidos facilmente. A Dança da Morte atualizada atrasa essa morte ao causar um efeito de dano ao longo do tempo no carregador, que os atiradores podem facilmente superar a cura com runas e itens.

Os jogadores são bons demais com este campeão?

Enquanto para alguns campeões, o domínio pode ser alcançado após vários jogos, o Aphelios parece se sair bem nas mãos de todos os jogadores, dos novatos aos mais experientes. Sua taxa de vitórias parecia pairar em mais de 50% por seis meses, com uma enorme presença desde seu lançamento em dezembro de 2019.

A diferença entre um bom Aphelios e um Aphelios ruim é minúscula; não importa qual arma ele usa, ele consegue lidar com equipes inteiras.

Enquanto jogadores que dominam Aphelios podem não ser muito diferentes daqueles que usam o campeão pela primeira vez, é importante ver o contexto das impressionantes jogadas de um contra cinco que algumas pessoas estão fazendo. Na maioria das vezes, os inimigos estão agrupados e dão a Aphelios uma maneira fácil de acessar toda a equipe. 

O renomado treinador e apresentador de LoL, Nick “LS” De Cesare, deu sua opinião há algumas semanas sobre a questão Aphelios.

 

Houve vários casos no jogo profissional em que os oponentes escolheram um mago à distância, como Syndra ou Ziggs, para lidar com Aphelios. Mas esses tipos de escolhas exigem que seu inferior pratique no nível mais alto antes de usá-las. A falta de tais situações mostra que os jogadores não investem tempo suficiente na prática dessas escolhas ou parecem que não conseguem tocar uma composição sem um atirador tradicional.

Uma lição para o futuro

Aphelios é um campeão único e será lembrado no Rift para sempre. Embora ele não tenha cumprido as expectativas que os jogadores tinham quando o ouviram pela primeira vez, ele se superou ao popularizar o meme de 200 anos.

Embora seu kit tenha sido problemático devido à falta de pontos fracos, o número constante de enfraquecimentos diminuiu seu poder e ele é mais gerenciável agora em comparação com seu status de lançamento. A questão de ele ser tão forte é uma combinação de seu kit ser muito flexível e os jogadores se recusarem a adaptar seu estilo de jogo e jogabilidade quando Aphelios estiver no jogo, confiando no conforto, e não nas respostas a essa escolha.

No futuro, a Riot deve atenuar aspectos únicos e permitir mais contra-jogadas. Eles poderiam fortalecer campeões antigos ou enfraquecer novos campeões para não influenciarem demais o meta.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cristian Lupasco no Dot Esports no dia 19 de julho.