Dota Pro Circuit estaria introduzindo ligas regionais depois do The International 2020

Parece que os Minors de Dota 2 vão ficar no passado.

Foto via Valve

Nos últimos dias, têm circulado rumores sobre o que teria sido discutido na reunião entre a Valve e diversos representantes de times de Dota 2, que aconteceu na sede da Valve em Seattle e foi confirmada pelo comentarista russo Vitalii “v1lat” Volochai.

Na reunião, a empresa teria apresentado aos times uma nova estrutura para o Dota Pro Circuit de 2020-21, que depois foi repassada para os times que não estiveram presentes, de acordo com o LiquidDota.

A Valve eliminaria completamente os Minors do formato do DPC, reduzindo o número de Majors de cinco para três e implementando um sistema de ligas regionais com duas classificações para compensar essas reduções. O sistema da liga terá chaves do tier 1 e do tier 2, com sistemas de promoção e demoção para recompensar os times mais promissores do tier 2 e rebaixar os times do tier 1 que tiverem queda em desempenho na temporada.

Esta seria a lista completa de mudanças:

  • Minors deixam de existir
  • Três Majors em vez de cinco
  • Introdução das Ligas Regionais
    • Dois níveis (tier 1 e tier 2) por região
    • Sistema de promoção e demoção entre os dois níveis
  • Classificatórias abertas para entrar no tier 2

Apesar de a redução dos Majors e retirada dos Minors deixar um vazio na programação normal, a Valve estaria trabalhando com os organizadores anteriores dos eventos para implementar o novo sistema de ligas regionais. Isso colocaria alguns organizadores no comando de regiões específicas, ao mesmo tempo em que permitiria que a Valve fizesse partidas que duram mais do que um torneio.

Evidentemente, as ligas começariam apenas online, mas, por ter os organizadores de torneio envolvidos, deve haver algum elemento presencial em qualquer que seja a forma final delas.

Assim, as ligas devem substituir completamente a necessidade dos Minors, já que os jogadores nem ligavam muito para eles mesmo, e vão funcionar como classificatórias para os Majors. A classificação em cada liga vai afetar a distribuição de pontos do DPC ao longo da temporada, além das colocações finais em cada Major. 

E, como sempre, as regiões serão divididas como sempre foram para o DPC. CEI, China, Europa, América do Norte, América do Sul e Sudeste Asiático terão ligas individuais, divididas nos dois níveis.

Os times só poderão se classificar diretamente para o tier 2. Aqueles que estiverem em último serão retirados da liga e precisarão entrar pelas classificatórias abertas. Enquanto isso, os dois melhores colocados do tier 2 e os dois últimos colocados do tier 1 trocam de lugar no próximo período para ter a chance de se provar.

O sistema impede que os times tenham grandes saltos de colocação com apenas uma boa aparição, o que ajuda a melhorar a qualidade da classificação ao longo do tempo.

Segundo o LiquidDota, isso também funciona como uma maneira de impedir que os times troquem de regiões ao longo da temporada. Qualquer time que estiver competindo em uma região e decidir mudar de local precisa abdicar de qualquer que seja sua classificação na região anterior e jogar as classificatórias abertas para o tier 2 outra vez na nova região.

A nova estrutura do circuito tem a chance de beneficiar crescimento gradual com o tempo, não só dos jogadores de Dota 2 mas também de audiência em todas as regiões.

Os Majors mostram que há grandes picos de participação no jogo quando os campeonatos estão rolando, mas isso só acontece no período de duas semanas em que as partidas acontecem. A nova forma permite que os jogos sejam mais fáceis de digerir por um período maior de tempo, dando aos jogadores e espectadores um tempo para respirar.

Todas as mudanças seriam implementadas depois do The International 2020, e mais detalhes devem ser revelados em setembro, quando a Valve puder finalizar o formato. Fatores como a distribuição de premiação para as ligas, movimentação de jogadores e quais times seriam colocados no tier 1 a princípio são grandes dúvidas que precisarão ser respondidas.

Artigo publicado originalmente em inglês por Cale Michael no Dot Esports no dia 01 de fevereiro.