Infinity Ward mostra planos para combater ainda mais o racismo em Call of Duty

Racistas jogando CoD, se cuidem.

Imagem via Activision

A Infinity Ward revelou sua abordagem para combater melhor o racismo e o conteúdo racista no Call of Duty hoje.

Todo o mundo, inclusive a indústria de jogos, está prestando muita atenção aos protestos contra o racismo e o racismo estrutural após o assassinato de George Floyd pela polícia na semana passada em Minnesota. Parte da resposta da Infinity Ward é reprimir os racistas em Call of Duty: Modern Warfare e Warzone.

“Não há lugar para conteúdo racista em nosso jogo”, disse a Infinity Ward. “Esse é um esforço que começamos com o lançamento e precisamos fazer um trabalho melhor. Estamos emitindo milhares de banimentos diários por nomes racistas ou disseminadores de ódio. Mas sabemos que temos que fazer mais.”

Este tweet chega um dia depois em que uma das principais postagens no Reddit de Modern Warfare era um vídeo de um jogador pesquisando a base de jogadores do Call of Duty e percorrendo dezenas de nomes que poderiam ser descritos como racistas.

O desenvolvedor disse que planeja adicionar recursos adicionais para monitorar e identificar conteúdo racista, sistemas adicionais de relatórios no jogo, filtros e maiores restrições às mudanças de nome. A Infinity Ward também avaliará as melhorias no jogo para facilitar a denúncia de ofensas e aumentar os banimentos permanentes para erradicar reincidentes.

Qualquer um que tenha jogado Call of Duty desde que ganhou popularidade há mais de uma década provavelmente entrou em contato com alguma forma de racismo no jogo, seja por meio do bate-papo no jogo, chat ou nomes de usuário. À Infinity Ward, parece que agora é a hora de reprimir esse comportamento.

Não está claro onde esses tipos de limitações estiveram o tempo todo, mas essa é uma mudança positiva se o desenvolvedor puder cumprir suas promessas.

Artigo publicado originalmente em inglês por Scott Duwe no Dot Esports no dia 03 de junho.